Pra Você

Saúde

Postura e descanso são importantes para evitar lesões por repetição

O corpo humano não foi projetado para muitas das atividades que hoje pertencem à nossa rotina. Ficar sentado diante do computador durante horas, todos os dias, pode causar dores, dificuldades de movimentação e formigamento nos dedos. Esses e outros sintomas estão ligados à LER (lesão por esforço repetitivo), tema do Bem Estar.

A LER não é uma doença propriamente dita, mas engloba todos os problemas nos ossos e músculos que tenham origem em atividades repetitivas. Normalmente, o mal está ligado ao trabalho, mas isso não é regra. Para esclarecer o assunto, recebemos a terapeuta ocupacional Maria Cândida Luzo e o preparador físico José Rubens D’Elia, consultor do programa. Participou também a banda “Músicos do Futuro”, pois seus músicos exercem uma função que exige muita repetição e movimentos precisos. As lesões são mais recorrentes em pessoas que digitam muito ou apertam mouse, atendem e transferem telefonemas ou fazem fotocópias. Em casa, os serviços domésticos também desencadeiam problemas, por isso é preciso segurar corretamente panelas e vassouras. A lesão mais comum é a tendinite, uma inflamação nos tendões. Outras recorrentes são a síndrome do túnel do carpo, a tendinite de Quervain, o dedo em gatilho e o cotovelo de tenista. Os especialistas falaram, ainda, sobre os cuidados que se deve ter para evitar o surgimento de dores. Três aspectos são fundamentais para reduzir os riscos: é preciso fazer pausas durante qualquer atividade e saber respeitar os limites do corpo; a altura e a posição dos aparelhos precisa estar adaptada à pessoa; e é necessário ter atenção com a postura. Em qualquer atividade que se faça, é importante usar todo o corpo. Pense no movimento que você realiza, por exemplo, quando se abaixa para pegar um objeto pesado no chão – o ideal é dobrar os joelhos e usar as duas mãos. Esse tipo de raciocínio serve para todos os trabalhos braçais.

No caso do computador, em que a LER é comum, o que se deve observar é a posição dos objetos. A cadeira e a mesa devem ficar na altura que proporcione maior naturalidade e conforto a quem estiver sentado. A posição mais recomendada do monitor é à altura dos olhos, para evitar que a pessoa abaixe a cabeça e force o pescoço. Para usar o teclado e o mouse, o ideal é que o cotovelo forme um ângulo de 90 graus. Os dois pés devem ficar apoiados no chão e, se a máquina for compartilhada por indivíduos de alturas diferentes, o uso de almofadas pode resolver o problema.

Maria Cândida aproveitou para dar dicas sobre os laptops, computadores portáteis que muita gente usa em casa. Para utilizá-lo no colo, é preciso tomar alguns cuidados: recostar-se bem no assento, apoiar os pés no chão e colocar algum objeto para deixar o computador um pouco mais alto. Ainda assim, o ideal é colocá-lo sobre a mesa.

Quando o notebook ficar em cima da mesa, deve ser usado da mesma maneira que o desktop - computador convencional. Para isso, é recomendado colocar um suporte debaixo do computador, para que ele não fique muito baixo em relação aos olhos. Teclado e mouse também devem ficar na altura certa.

Fonte: Biolab

Link: http://biolablab.com.br/site/index.php/component/k2/item/100-postura-e-descanso-s%C3%A3o-importantes-para-evitar-les%C3%B5es-por-repeti%C3%A7%C3%A3o

Como manter o peso

Para manter o peso foi desenvolvido um trinômio que traz resultados permanentes para você. O tratamento para a perda de peso e sua manutenção baseia-se em três pilares: reeducação alimentar, exercícios físicos e estabilidade emocional.

A reeducação alimentar é um processo de aprendizagem exercido através de orientações nutricionais específicas, onde o indivíduo conhece e aprende novos hábitos alimentares, proporcionando a escolha correta dos alimentos das suas refeições, tanto em nível qualitativo quanto quantitativo.
 
Reeducação alimentar não é regime, mas a forma de resgatar o verdadeiro sentido da alimentação: nutrir o corpo de maneira mais saudável possível. Pode ser aplicada em pessoas que possuem hábitos alimentares inadequados, com caráter preventivo e terapêutico.
 
A atividade física de qualidade deve ser devidamente monitorada. Não adianta nada tentar corre no parque um dia e nunca mais aparecer por lá. A orientação de um médico ou de um professor de educação física é essencial para que você perceba seus limites. Segundo alguns profissionais, 40 minutos diários de caminhada já são de grande auxílio.
 
Além da caminhada, os exercícios bons para perder peso são natação, corrida, bicicleta e ginástica aeróbica. Exercícios como musculação e ginástica localizada são ineficientes para ajudar na perda de peso. Servem para definir a musculatura e evitar a flacidez.
 
Os fatores psicológicos são importantes para perder peso e manter o peso perdido. A força de vontade de que tanto se fala, reside muito no fato de você procurar e assegurar uma estabilidade emocional que lhe permita “enfrentar” as mudanças de hábitos que se submeteu, e chegar ao fim a que se propôs.
 
Na verdade, a força de vontade não é uma questão de querer somente. Racionalmente a pessoa está com sobrepeso quer (e precisa) emagrecer, mas os seguidos fracassos que experimentou em tentativas de diferentes dietas diminuem sua força de vontade. Por isso, muito mais do que querer é preciso persistir.
 
Uma das formas de fazer essa força de vontade prevalecer é valorizar as menores conquistas. Isso reforça muito a auto-estima e se converte em uma ferramenta importante na luta contra o sobrepeso.
 
Com o trinômio (alimentação equilibrada, exercícios físicos e estabilidade emocional) pode-se, sim, manter um peso saudável.
 

Vitaminas

Vitamina A 
 
O que faz: defende o organismo de infecções; é fundamental para os ossos, dentes e pele; é anticancerígena. Principais fontes: fígado de boi; gema de ovo; leite e derivados; cenoura; vegetais verdes (como espinafre e acelga); frutos amarelos (mamão e melão). 
 
Vitamina B1 
 
O que faz: melhora a disposição; auxilia a digestão, o funcionamento do sistema nervoso e o combate à anemia. 
Principais fontes: cereais integrais; vegetais; carnes; gema de ovo. 
 
Vitamina B2 
 
O que faz: é indispensável para a saúde da pele e da mucosa; combinada com outras substâncias trabalha no metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas; diminui o cansaço dos olhos. 
Principais fontes: cereais integrais; fígado; soja; espinafre; feijão; peixe; ovos; laticínios e derivados. 
 
Vitamina B6 
 
O que faz: permite ao organismo assimilar melhor a proteína e a gordura; atua no sistema nervoso; evita problemas de pele; alivia náuseas; reduz cãibras e dormências; funciona como um diurético natural. 
Principais fontes: nozes; carnes; peixes; legumes; aveia; germe de trigo; cereais integrais e banana. 
 
Vitamina B12 
 
O que faz: previne a anemia; fornece energia ao organismo; auxilia o bom funcionamento do sistema nervoso; aumenta a capacidade de concentração. 
Principais fontes: peixes; carne bovina; leite e derivados; ovos. 
 
Fonte: http://www.dicas.blog.br/?mostra=MTA0Ng==

Como prevenir a Osteoporose

 

Algumas dicas podem ajudar na prevenção ou no controle da osteoporose:
A ingestão de cálcio é fundamental para o fortalecimento dos ossos. Adote uma dieta rica em alimentos com cálcio (leite e derivados, como iogurtes e queijos). Os médicos indicam dois copos de leite desnatado e uma fatia de queijo branco por dia;
Consuma verduras de folhas escuras, como brócolis, espinafre e couve;
Evite carne vermelha, refrigerante, café e sal;
Exponha-se ao sol de forma moderada. Os raios ultravioletas sobre a pele estimulam a produção de vitamina D, fundamental para a absorção do cálcio pelo organismo. Basta de 20 a 30 minutos de sol por dia, entre 6h e 10h;
Não fume e evite o consumo excessivo de álcool;
Independente da idade inicie um programa de exercícios (pode ser caminhada ou musculação, por exemplo). Entre outras vantagens, ajuda a fortalecer os músculos, melhorar o equilíbrio e os reflexos, evitando as quedas;
 Mulheres que entraram na menopausa devem consultar um médico para começar um tratamento especial. A partir de 45 anos, devem ser submetidas a um teste de densitometria óssea;
Obstáculos como móveis, tapetes soltos e pouca iluminação, podem facilitar quedas e, conseqüentemente, provocar fraturas em pessoas com osteoporose.

Verão e saúde

O verão é a estação do ano que mais combina com a saúde e a estética. Uma preocupação justificada, já que é justamente a estação do corpo. Quando finalmente nós nos entregamos aos raios solares, a pratica de esportes, aos cuidados conosco. Muitos brasileiros ficam ansiosos pela chegada do verão. É uma ótima oportunidade para curtir a praia, a piscina e, quem sabe, até viajar para as regiões litorâneas. Em férias escolares, algumas crianças e adolescentes aproveitam os meses quentes em casas de praia. Mas para desfrutar de tudo que o verão tem de bom, é preciso tomar alguns cuidados especiais com a saúde.

Várias doenças se tornam bem mais habituais nos períodos mais quentes e úmidos do ano. Um grande exemplo são as micoses, que aparecem com freqüência na estação do calor, em decorrência dos climas quentes e úmidos, suor intenso, uso de óleos de bronzeadores, roupas úmidas e outros fatores que facilitam a proliferação de fungos e a disseminação de doenças.
Dicas para se proteger no verão:
 
• Evite usar produtos que aumente a oleosidade da pele;
 
• Evite andar descalço
 
• Não use objetos pessoais de estranhos;
 
• Seque-se sempre muito bem depois do banho, principalmente as dobras de pele, como axilas, virilha e dedos dos pés;
 
• Evite ficar com roupas molhadas por muito tempo;
 
• Utilize meias e roupas íntimas de algodão, as de fibras sintéticas retêm o suor;
 
• Quando for a manicure ou pedicure, leve seu próprio alicate, lixa e tesoura. Caso não os tenha, verifique se estão todos esterilizados;
 
• Evite usar o mesmo sapato dois dias seguidos.

Atividade física em excesso causa acúmulo de radicais livres

Radicais livres: mais uma salada de letras que assombra aqueles que se preocupam com a boa saúde e tem na atividade física regular um meio de obtê-la. 
 
Radicais livres são frações de moléculas, fragmentos, que resultam de todo o processo da produção de energia pelo tecido muscular. Eles são extremamente instáveis e sua ativação causa lesão do tecido muscular. 
 
Embora o metabolismo exigido na produção de energia para atividade física termine na formação desses radicais, além de outras moléculas, somente o excesso de exercícios, atividade física intensa e prolongada, faz com que o seu acúmulo seja prejudicial à saúde. Excluindo carências nutricionais e doenças, basta que a atividade física seja de intensidade moderada em seu volume semanal para prevenir o problema. 
 
A atividade física intensa consiste em um consumo máximo de oxigênio e é algo extenuante. Envolve realizar um treino por um período maior do que aquele com o qual estava habituada. Outras características são fazer um treino mais extenuante do que o normal e realiza-lo mais de três vezes por semana. 
 
No entanto, se por qualquer razão você for obrigado a se submeter a um treinamento intenso, esteja preparado para os efeitos nocivos como consequências do acúmulo desses radicais que vão desde dor devido ao processo inflamatório que se estabelece até grandes destruições de tecido muscular. 
 
Entre os fatores que desencadeiam a lesão muscular pelo efeito nocivo dos radicais livres, o estresse mecânico vinculado ao excesso, é um dos mais relevantes, principalmente se resultado de exercícios musculares excêntricos. Tratam-se daqueles que vão além da capacidade do músculo de produzir energia e assim ele realiza um movimento contrário a sua ação. Um exemplo disso é o cotovelo que se abre para fora quando a pessoa carrega muito peso. 
 
Como consequência, há fadiga e perda de força que é maior do que a produzida pelos trabalhos concêntricos, movimento a favor da contração do músculo, embora estes em excesso possam trazer efeito semelhante. 
 
É fácil perceber que a persistência da alta intensidade dos exercícios de maneira continuada e prolongada leva a danos ao tecido muscular. Estes danos podem ser permanentes e se agravam com a perda natural da força e resistência ocorrida com o passar dos anos. 
 
Outro ponto principal a ser esclarecido é a ação do oxigênio, ou da falta dele. A atividade física intensa e prolongada impede o adequado aporte de oxigênio, mais uma causa de estresse na produção de energia pelo músculo. Este fenômeno leva a uma menor produção de antioxidantes como as vitaminas A, E, C e de elementos como o zinco e magnésio, essenciais no bloqueio da indesejada ação dos radicais livres. 
 
Como prevenir o problema
 
Ficou com má impressão lendo este artigo? Então vamos desfazê-la: pratique atividade física moderada e regular que seus radicais livres serão naturalmente combatidos pela produção adequada de antioxidantes e você continuará usufruindo tudo o que de bom o exercício traz para o nosso organismo. Além disso, mantenha uma dieta balanceada com grande variedade de alimentos.  

Como combater a boca seca?

Quando se fala em boca seca, geralmente tem-se a impressão de uma condição que apenas incomoda, mas trata-se de um problema que, além de ‘roubar’ todo o paladar e o sabor dos alimentos, compromete a saúde oral.
 
De acordo com Rodrigo Bueno de Moraes, cirurgião-dentista que vai coordenar o simpósio sobre “Boca seca na clínica odontológica”, durante o 30° Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo, essa condição pode causar problemas graves, já que a saliva ajuda a prevenir cáries e outros problemas bucais ao limitar a proliferação de bactérias na boca e lubrificar o ambiente bucal.
 
“Além da boa escovação dos dentes e do uso de fio ou fita dental, a saliva contribui para a eliminação de algumas bactérias, bem como diminui a acidez da boca. Também ressalta o paladar e o poder das enzimas salivares de colaborar com a digestão. A boca seca – ou xerostomia – age na contramão, sendo que a pessoa pode apresentar mau hálito, lábios ressecados, dor de garganta, alteração no paladar, dificuldade na fala, dificuldade de engolir alimentos e, principalmente, aumento de cáries, infecções periodontais e inflamações gengivais – resultando na perda total dos dentes naturais caso não recorra a um tratamento adequado”, diz Bueno de Moraes.
 
Na opinião do especialista, boca seca é um fenômeno relacionado com várias situações. Merecem destaque as relacionadas com o desdobramento do uso de medicamentos ou com situações que comprometam a estabilidade da saúde (caso da respiração bucal, das doenças autoimunes e de alguns tratamentos médicos).
 
“Trata-se de um efeito colateral relacionado com mais de 700 drogas conhecidas, entre antidepressivos, anticolinérgicos, anti-hipertensivos, anti-histamínicos, anti-inflamatórios, ansiolíticos, diuréticos, analgésicos, relaxantes musculares e muitas outras. Mas, também, há fatores emocionais – como estresse – que podem desencadear xerostomia, bem como condições específicas que levam ao quadro de boca seca, como tratamento de câncer, síndrome de Sjögren, mal de Parkinson, mal de Alzheimer, Aids e até diabetes, por exemplo”.
 
Rodrigo Bueno de Moraes alerta para a importância de se procurar um cirurgião-dentista tão logo a pessoa sinta as primeiras alterações da mucosa oral, já que a boca seca pode evoluir para lesões, feridas bucais mais severas ou favorecer a perda dos dentes.
 
“Esse paciente tem de ser examinado frequentemente, porque tem um risco bastante aumentado de cáries ou de doenças das gengivas e precisa, portanto, de aplicações tópicas de flúor e manutenção de boca desinfetada para prevenir o agravamento desses quadros”.
 
Além do tratamento odontológico, o cirurgião-dentista aponta cinco ações para estimular a produção de saliva naturalmente:
 
1. Consumir alimentos que estimulam o fluxo de saliva e refrescam o hálito. São eles: rúcula, agrião, aspargos, jiló, salsão, hortelã, maçã, pêra etc.;
 
2. Reaprender o valor de mastigar bem os alimentos. Isso ajuda na produção de saliva e na digestão também;
 
3. Aumentar a ingestão diária de líquidos, dando preferência à água e aos chás de hortelã, erva-doce, boldo e carqueja. Sucos de frutas também são bem-vindos;
 
4. Se empenhar firmemente para parar de fumar, de ingerir bebidas alcoólicas e de usar drogas, porque costumam agravar ainda mais os quadros de boca seca;
 
5. Excluir da rotina a ingestão de doces muito caramelizados, como frutas em calda, balas de goma e de coco, geleias etc.
 
O especialista, por fim, chama atenção para outra questão fundamental na vida dos portadores de boca seca, que é o uso rotineiro do fio dental e de escovas com cerdas macias. “Para todas as pessoas, de modo geral, a frequência adequada dos cuidados diários de higiene bucal é de, no mínimo, duas vezes ao dia para os adultos e de três vezes ao dia para as crianças”.

Feche a porta de seu salão para contaminação

Você sabia, que ao compartilhar alicates, espátulas e outros materiais das manicures e estes não estiverem devidamente esterilizados você pode contrair doenças?

A Hepatite por exemplo, é uma inflamação do fígado causada por um vírus e pode ser transmitida apenas por uma gota de sangue. 

Onicomicose (micose nas unhas), é uma infecção causada por fungos, também pode ser contraída pelo compartilhamento de materiais não esterilizados. Essas são algumas das doenças mais comuns, o importante é prevenir e esterelizar todos os materiais.

Em primeiro lugar, os materiais devem ser lavados e acomodados em embalagens apropriadas, antes de passar pelo processo de esterilização. Se for em estufa, deve-se ter muito cuidado com o tempo e temperatura corretos para efetiva esterilização. O tempo para a estufa é de 1 hora à 170°C e de 2 horas à 160°C. Quem esteriliza em autoclave deve seguir as instruções de uso do fabricante, sendo o tempo essencial de 15 a 30 minutos à 121°C.

Como tratar e controlar a ansiedade.

O que são transtornos de ansiedade generalizada?

Pessoas com transtornos de ansiedade generalizada passam o dia cheias de preocupações e tensões exageradas, ainda que tenha pouca coisa ou nada provocando isso. Elas antecipam desastres e são profundamente preocupadas. Algumas vezes só pensar em viver o dia já produz ansiedade.

Os transtornos de ansiedade generalizada são diagnosticados quando a pessoa preocupa-se excessivamente sobre uma variedade de problemas cotidianos por pelo menos 6 meses. Pessoas com transtornos de ansiedade generalizada não conseguem se livrar de suas preocupações, mesmo que percebam que a sua ansiedade é mais intensa do que seria esperado pela situação.

Pessoas com transtornos de ansiedade generalizada não conseguem relaxar e têm dificuldade de concentração. Muitas vezes, as pessoas com transtornos de ansiedade generalizada têm dificuldade para dormir. Sintomas físicos que geralmente acompanham a ansiedade incluem fadiga, dor de cabeça, tensão muscular, dores musculares, dificuldade de engolir, tremedeira, irritabilidade, sudorese, náusea, ir ao banheiro freqüentemente, sentir falta de ar, e ter ondas de calor.

Os transtornos de ansiedade generalizada afetam duas vezes mais as mulheres do que os homens. Como tratar e controlar a ansiedade Quando o nível de ansiedade é normal, as pessoas podem interagir socialmente e manter um trabalho. Já em casos de ansiedade severa, a pessoa tem dificuldade de desempenhar simples atividades rotineiras. Os transtornos de ansiedade generalizada são geralmente tratados com medicamentos e psicoterapia cognitiva comportamental, porém também deve-se tratar condições coexistente, se elas ocorrem, como alcoolismo e depressão.

Se você acha que tem muita ansiedade deve procurar um clínico geral que poderá determinar se os sintomas são de transtornos de ansiedade generalizada, de outra condição médica, ou de ambos. Se o transtorno de ansiedade generalizada for diagnosticado, o paciente geralmente é encaminhado a um médico especialista na saúde mental para que possa tratar e controlar seus sintomas.

Uma vez começado o tratamento com medicação, é importante nunca interrompê-la abruptamente. Certos remédios devem se descontinuados gradualmente sob supervisão médica, ou reações adversas podem ocorrer. Dicas para ajudar a tratar e controlar a ansiedade mais eficientemente.

Muitas pessoas com transtorno de ansiedade generalizada se beneficiam de juntar-se a um grupo de ajuda e compartilhar seus problemas com outros. Conversar com um amigo de confiança pode lhe dar apoio. Meditação e técnicas de controle de estresse podem ajudar pessoas com ansiedade a se acalmar e elevar os efeitos do tratamento. Há evidência preliminar também de que exercício físico aeróbico pode ter um efeito calmante. Porém, tudo isso não é substituto do tratamento médico profissional. Uma vez que cafeína, certas drogas ilícitas e até alguns remédios vendidos sem prescrição médica podem agravar os sintomas dos transtornos de ansiedade generalizada, eles devem ser evitados. Verifique com seu médico antes de tomar qualquer remédio adicional. A família é muito importante para ajudar uma pessoa a tratar e controlar a ansiedade. A família deveria dar apoio e não trivializar o transtorno de ansiedade ou cobrar melhoras sem tratamento. Tratamento do transtorno de ansiedade Remédios podem ser combinados com psicoterapia para tratar e controlar transtornos de ansiedade, e esse é o melhor método para muitas pessoas. Como tratar e controlar a ansiedade com remédios e medicamentos. Os remédios não curam o transtorno de ansiedade, mas podem o controlar enquanto a pessoa recebe psicoterapia. A medicação deve ser prescrita por um médico, geralmente um psiquiatra, o qual pode oferecer psicoterapia ou indicar alguém para realizá-la. Como tratar e controlar a ansiedade com psicoterapia.

A psicoterapia envolve conversar com um profissional treinado, psiquiatra ou psicólogo, para descobrir o que causa o transtorno de ansiedade e como lidar com seus sintomas. A psicoterapia cognitiva comportamental geralmente é muito útil para tratar transtornos de ansiedade. Para ser eficiente, a psicoterapia cognitiva comportamental deve ser direcionada às ansiedades específicas da pessoa e deve ser moldada às suas necessidades. Não há efeitos colaterais, a não ser o desconforto da ansiedade temporariamente aumentada. A psicoterapia cognitiva comportamental deve durar pelo menos 12 semanas.

Fonte:Biolab

Link:http://biolablab.com.br/site/index.php/component/k2/item/113-como-tratar-e-controlar-a-ansiedade

Carne vermelha reduz fertilidade masculina, diz estudo

Uma alimentação nutricionalmente pobre e obesa baixa a fertilidade do homem, segundo pesquisa do Centro de Fertilização Assistida de São Paulo. O estudo ainda sugere que carne vermelha, café e álcool devem ser cortados dos hábitos alimentares.
 
Os pesquisadores sugerem que, para uma maior produção de espermatozoides, a dieta masculina deve ser rica em grãos e frutas. A chance de uma fertilização bem sucedida em indivíduos que seguem essa dieta aumentam consideralmente, de acordo com os dados do Centro.
 
“A concentração de esperma é influenciada negativamente pelo índice de massa corpórea (IMC) e o consumo de álcool, e possivelmente é positivamente influenciado pelo consumo de cereais e pelo número de refeições por dia”,  explica o responsável pelo estudo, Edson Borges.
 
Os pesquisadores estudaram 250 homens que procuraram ajuda por meio da injeção intracitoplásmica de sêmen, um tipo de fertilização in vitro. Cada participante respondeu um questionário sobre hábitos alimentares, álcool e cigarro antes de realizar o procedimento.  Os homens mais saudáveis tiveram mais êxito em engravidar suas mulheres.

Relação entre sono e obesidade

Sabemos que a genética desempenha um fator importante na determinação do peso corporal, ou seja, se um indivíduo tem uma “tendência” ou predisposição a ser mais magro ou não. Entretanto, os fatores ambientais como hábitos alimentares ruins e sedentarismo são considerados como principais vilões em relação aos índices crescentes de obesidade vistos em todo o mundo.
 
Entre as variáveis importantes que determinam o peso corporal destaca-se também a capacidade de uma pessoa dormir adequadamente à noite ou o que se chama: “padrão de sono noturno”. Acredita-se que um sono ruim teria papel central na predisposição a ganho de peso e até possa prejudicar o emagrecimento. Infelizmente, o número de jovens adultos com duração de sono inferior a sete horas por noite é muito alto (quase 40%).
 
De acordo com a endocrinologista Claudia Chang, “diversos estudos indicam que pessoas que dormem menos de 6 horas por noite têm maior chance de se tornarem obesas”.
 
Existem alguns distúrbios do sono, por exemplo, como a síndrome de apnéia obstrutiva do sono, na qual a pessoa tem pausas respiratórias, às vezes prolongadas, durante o sono associado em geral a ronco, e que segundo Claudia Chang, “leva a uma grande dificuldade de perda de peso e pior, até ganho!” Isto acontece porque durante o episódio da apnéia, há a parada do fluxo respiratório, liberação de hormônios (insulina, adrenalina, cortisol) que geram ganho peso. ”Sim, é como se estivéssemos comendo um bolo de chocolate enquanto dormimos”, exemplifica a endocrinologista.
 
“O reconhecimento, então, da síndrome de apnéia obstrutiva do sono é fundamental em pessoas que querem perder peso ou não estão conseguindo e seu tratamento não somente ajuda no processo de emagrecimento, mas também auxilia no controle da pressão arterial e até do diabetes, quando presentes”.

Higiene para uma vida saudável

A higiene é muito importante para o nosso corpo. Andarmos limpos contribui para a nossa saúde e bem estar.
 
Higiene pessoal – cuidados que devemos ter:
 
- tomar banho diariamente, escovar os dentes pelo menos 3 vezes ao dia (depois das refeições), usar roupa limpa, cuidar dos cabelos e das unhas;
- lavar as mãos antes e depois de ir ao banheiro;
- lavar as mãos antes das refeições;
- evitar andar descalço, usar sandálias ou sapatos;
- ao lavar as toalhas e roupas íntimas, coloque-as para secar diretamente no sol, não às deixando dentro do banheiro ou na sombra;
- cada pessoa da família deve ter sua própria toalha e escova de dente, evitando compartilhá-las;
- evitar sentar em vasos sanitários de banheiros públicos ou em casas de pessoas desconhecidas;
- evitar ficar muito tempo com roupa molhada;
- não compartilhar roupa íntima, como calcinhas, cuecas, sutiãs, com outras pessoas.
 
Higiene dos alimentos:
 
- lavar bem frutas e verduras com água limpa e deixar de molho por alguns minutos em vinagre (1 colher para 1 litro de água) ou hipoclorito de sódio (03 gotas para 1 litro de água);
- cobrir os alimentos para evitar que moscas ou outros insetos pousem;
- evitar compartilhar copos, pratos, talheres ou qualquer objeto que seja levado a boca.
 
Higiene ambiental:
 
- manter o quintal sempre limpo, roçando a grama/capim e podando as árvores;
- não jogar lixo no quintal. Acondicione o lixo doméstico e coloque na frente de sua casa nos dias e horários de coleta pública, para evitar a presença de animais como ratos, cobras, escorpiões e baratas;
- não queime nenhum tipo de lixo, nem mesmo nos quintais;
- manter a casa limpa, higienizada, ventilada e com iluminação natural;
- não fumar dentro de casa;
- eliminar possíveis criadouros de vetores de doenças (dengue, malária, leishmaniose), como: caixa d’água sem tampa, tambores, baldes e outros utensílios que possam acumular água;
- se não houver rede de esgoto em sua região, os banheiros devem ser construídos longe dos poços d’água, de nascentes ou da beira do rio. 
 
 
Fonte: Ministério da saúde
Link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/240_higiene_vidasaudavel.html

11 benefícios da caminhada para o corpo e a mente

Você conhece algum exercício mais fácil de praticar do que a caminhada? Ela não exige habilidade, é barata, pode ser feito praticamente a qualquer hora do dia, não tem restrição de idade e ainda pode ser feita dentro de casa se a pessoa tiver uma esteira. "Para uma pessoa que não pratica nenhum tipo de esporte, uma caminhada de 10 minutos por dia já provoca efeitos perceptíveis ao corpo, depois de apenas uma semana, explica o fisiologista do esporte Paulo Correia, da Unifesp. Além da melhora do condicionamento físico, as vantagens de caminhar para a saúde do corpo e da mente são muitas, e comprovadas pela ciência. O Minha Vida reuniu 11 benefícios que esse hábito pode fazer para você. Confira aqui e movimente-se: 
 
1.Melhora a circulação
 
Um estudo feito pela USP, de Ribeirão Preto, provou que caminhar durante aproximadamente 40 minutos é capaz de reduzir a pressão arterial durante 24 horas após o término do exercício. Isso acontece porque durante a prática do exercício, o fluxo de sangue aumenta, levando os vasos sanguíneos a se expandirem, diminuindo a pressão. 
Além disso, a caminhada faz com que a as válvulas do coração trabalhem mais, melhorando a circulação de hemoglobina a e oxigenação do corpo. "Com o maior bombeamento de sangue para o pulmão, o sangue fica mais rico em oxigênio. Somado a isso, a caminhada também faz as artérias, veias e vasos capilares se dilatarem, tornando o transporte de oxigênio mais eficiente às partes periféricas do organismo, como braços e pernas", explica o fisiologista Paulo Correia. 
 
2.Deixa o pulmão mais eficiente
 
O pulmão também é bastante beneficiado quando caminhamos. De acordo com Paulo Correia, as trocas gasosas que ocorrem nesse órgão passam a ser mais poderosas quando caminhamos com frequência. Isso faz com que uma quantidade maior de impurezas saia do pulmão, deixando-o mais livre de catarros e poeiras. 
"A prática da caminhada, se aconselhada por um médico, pode ajudar também a dilatar os brônquios e prevenir algumas inflamações nas vias aéreas, como bronquite. Em alguns casos mais simples, ela tem o mesmo efeito de um xarope bronco dilatador", explica. 
 
3. Combate a osteoporose
 
O impacto dos pés com o chão tem efeito benéfico aos ossos. A compressão dos ossos da perna, e a movimentação de todo o esqueleto durante uma caminhada faz com que haja uma maior quantidade estímulos elétricos em nossos ossos, chamados de piezelétrico. Esse estímulo facilita a absorção de cálcio, deixando os ossos mais resistentes e menos propensos a sofrerem com a osteoporose. 
 "Na fase inicial da perda de massa óssea, a caminhada é uma boa maneira de fortalecer os ossos. Mesmo assim, quando o quadro já é de osteoporose, andar frequentemente pode diminuir o avanço da doença", diz o fisiologista da Unifesp.
 
4. Afasta a depressão
 
Durante a caminhada, nosso corpo libera uma quantidade maior de endorfina, hormônio produzido pela hipófise, responsável pela sensação de alegria e relaxamento. Quando uma pessoa começa a praticar exercícios, ela automaticamente produz endorfina. 
Depois de um tempo, é preciso praticar ainda mais exercícios para sentir o efeito benéfico do hormônio. "Começar a caminhar é o inicio de um círculo vicioso. Quando mais você caminha, mais endorfina seu organismo produz, o que te dá mais ânimo. Esse relaxamento também faz com que você esteja preparado para passar cada vez mais tempo caminhando", explica Paulo Correia. 
 
5. Aumenta a sensação de bem-estar
 
Uma breve caminhada em áreas verdes, como parques e jardins, pode melhorar significativamente a saúde mental, trazendo benefícios para o humor e a autoestima, de acordo com um estudo feito pela Universidade de Essex, no Reino Unido. 
 
Comparando dados de 1,2 mil pessoas de diferentes idades, gêneros e status de saúde mental, os pesquisadores descobriram que aqueles que se envolviam em caminhadas ao ar livre e também, ciclismo, jardinagem, pesca, canoagem, equitação e agricultura, apresentavam efeitos positivos em relação ao humor e à autoestima, mesmo que essas atividades fossem praticadas por apenas alguns minutos diários.  
 
6. Deixa o cérebro mais saudável
 
Caminhar diariamente é um ótimo exercício para deixar o corpo em forma, melhorar a saúde e retardar o envelhecimento. Entretanto, um novo estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostra que esse efeito antienvelhecimento do exercício pode ser possível também em relação ao cérebro, ao aumentar seus circuitos e reduzir os riscos de problemas de memória e de atenção. "Os estímulos que recebemos quando caminhamos aumento a nossa coordenação e fazem com que nosso cérebro seja capaz de responder a cada vez mais estímulos, sejam eles visuais, táteis, sonoros e olfativos", comenta Paulo Correia. 
 
Outro estudo feito pela Universidade de Pittsburgh, afirma que as pessoas que caminham em média 10 quilômetros por semana apresentam metade dos riscos de ter uma diminuição no volume cerebral. Isso pode ser um fator decisivo na prevenção de vários tipos de demência, inclusive a doença de Alzheimer, que mata lentamente as células cerebrais. 
 
7. Diminui a sonolência
 
A caminhada durante o dia faz com que o nosso corpo tenha um pico na produção de substâncias estimulantes, como a adrenalina. Essa substância deixa o corpo mais disposto durante as horas subsequentes ao exercício. Somado a isso, a caminhada melhora a qualidade do sono de noite. 
 
"Como o corpo inteiro passa a gastar energia durante uma caminhada, o nosso organismo adormece mais rapidamente no final do dia. Por isso, poucas pessoas que caminham frequentemente têm insônia e, consequentemente, não tem sonolência no dia seguinte", completa o especialista da Unifesp. 
 
8. Mantém o peso em equilíbrio e emagrece
 
Esse talvez seja o benefício mais famoso da caminhada. "É claro que caminhar emagrece. Se você está acostumado a gastar uma determinada quantidade de energia e começa a caminhar, o seu corpo passa a ter uma maior demanda calórica que causa uma queima de gorduras localizadas", afirma Paulo Correia. 
 
E o papel da caminhada na perda de peso não para por aí. Pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que, mesmo horas depois do exercício, a pessoa continua a emagrecer devido à aceleração do metabolismo causada pelo aumento na circulação, respiração e atividade muscular. 
 
A conclusão foi de que os músculos dos atletas convertem constantemente mais energia em calor do que os de indivíduos sedentários. Isso ocorre porque quem faz um treinamento intensivo de resistência, como é o caso da caminhada, tem um metabolismo mais acelerado. 
 
9. Controla a vontade de comer
 
Um estudo recente feito por pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra, sugere que fazer caminhadas pode conter o vício pelo chocolate. Durante o estudo, foram avaliadas 25 pessoas que consumiam uma quantidade de pelo menos 100 gramas por dia de chocolate. Os chocólatras tiveram que renunciar ao consumo do doce e foram divididos em dois grupos, sendo que um deles faria uma caminhada diária. 
 
Os pesquisadores perceberam que não comer o chocolate, juntamente com o estresse provocado pelo dia a dia, aumentava a vontade de consumir o doce. Mas, uma caminhada de 15 minutos em uma esteira proporciona uma redução significativa da vontade pela guloseima. 
 
"Além de ocupar o tempo com outra coisa que não seja a comida, a caminhada libera hormônios, como a endorfina, que relaxam e combatem o estresse, efeito que muitas pessoas buscam compulsivamente na comida", afirma Paulo Correia.  
 
10. Protege contra derrames e infartos
 
Quem anda mantém a saúde protegida das doenças cardiovasculares. Por ajudar a controlar a pressão sanguínea, caminhar é um fator de proteção contra derrames e infarto. "Os vasos ficam mais elásticos e mais propícios a se dilatarem quando há alguma obstrução. Isso impede que as artérias parem de transportar sangue ou entupam", diz Paulo. 
 
A caminhada também regula os níveis de colesterol no corpo. Ela age tanto na diminuição na produção de gorduras ruins ao organismo, que têm mais facilidade de se acumular nas paredes dos vasos sanguíneos e por isso causar derrames e infartos, como no aumento na produção de HDL, mais conhecido como colesterol bom. 
 
11. Diabetes
 
Outro ponto importante é que o treinamento aeróbico intenso produzido pela caminhada é capaz de reverter a resistência à insulina, um fator importante para o desenvolvimento de diabetes. Assim fica comprovado que os exercícios têm ainda mais benefícios contra o mal do que se pensava anteriormente. 
 
"Quanto maior a quantidade de insulina no sangue, maior a capacidade das células absorverem a glicose. Quando esse açúcar está circulando livremente no sangue, pode causar diabetes", explica o fisiologista da Unifesp. 

Evite retenção de líquidos

Barriga estufada, pernas pesadas e a terrível sensação de ter engordado vários quilos em pouquíssimo tempo... Você pode estar sofrendo com a retenção de líquidos!
O problema se caracteriza pelo acúmulo excessivo de água entre as células do organismo, que não é eliminado através da urina. Dessa forma, ocorre o inchaço principalmente na barriga, pés, mãos, coxas, tornozelos e mamas. Com algumas mudanças nos seus hábitos, é possível reduzir essa desconfortável sensação, aliviar a retenção de líquidos e sentir-se mais leve e bem-disposto!
 
– “Consuma alimentos como melancia, melão, abacaxi, chuchu, pêssego, cenoura, por exemplo, que são ricos em água e potássio. Eles ajudam a regular o teor de sódio no organismo e diminuem o inchaço”, explica a nutricionista Paula Castilho.
 
– Beba no mínimo 3 litros de líquidos por dia. “Tome pelo menos 1 litro de água pura, para promover a desintoxicação corporal. O restante pode variar entre chás e sucos. O ideal é ingerir 200 ml de algum líquido quinze minutos antes da refeição ou uma hora após”, ensina a nutricionista.
 
– Pratique atividades físicas regularmente. Procure, ao menos, caminhar três vezes por semana, durante meia hora. O exercício aumenta o batimento cardíaco e acelera vários processos no corpo, como a queima de calorias e gorduras, além da eliminação das toxinas e dos líquidos acumulados.
 
– Se você trabalha sentado, procure se levantar a cada duas horas. Também é interessante realizar a ginástica laboral durante o expediente.
 
– Faça uma deliciosa massagem, por exemplo, a drenagem linfática. Essa técnica é realizada com óleos essenciais e consiste em compressão e descompressão dos gânglios, trabalhando a circulação linfática. Dessa forma, ela estimula a eliminação do líquido linfático, que fica localizado entre as células e é rico em gorduras – até os gânglios linfáticos. Quando ele fica retido no tecido subcutâneo, você se sente inchado e pesado.
 
– Aumente o consumo de legumes e verduras, principalmente crus.
 
– Coma mais frutas. “Quando possível, ingira também o bagaço ou a casca. E prefira as que possuem poder laxativo, como: laranja, mexerica, mamão, banana-nanica, ameixa-preta, abacaxi, abacate e acerola, pois elas promovem uma limpeza no organismo, eliminando as toxinas”, explica Paula.
 
– Coma sempre devagar e mastigue bem os alimentos.
 
– Sempre que possível, dê preferência aos produtos integrais.
 
– Acrescente ao leite itens como cereais integrais, farelo de aveia, farelo de trigo, gérmen de trigo e linhaça, que favorecem o funcionamento do intestino.
 
– Modere no consumo do sal. “Utilize alho, cebola e ervas naturais, como orégano, salsa, alecrim, manjericão e açafrão”, aconselha Paula.
 
– Evite o consumo exagerado do café. “Em excesso, a bebida age como vasoconstritor, ou seja, diminui o calibre das artérias, favorecendo a má circulação e contribuindo para o inchaço. Substitua-o por chás”, avisa a nutricionista.
 
– Polvilhe a comida ou a salada com farinha de linhaça, que tem ação anti-inflamatória e reduz a retenção hídrica no organismo.
 
Fonte:portal Vital
 
link: http://www.portalvital.com/saude/alimentacao/evite-a-retencao-de-liquidos

Benefícios do sexo

Que o Sexo faz bem para a saúde todo mundo sabe, mas muitos não sabem quais são esses benefícios. O sexo melhora o funcionamento do nosso sistema de defesa, melhora a aparência da pele, reduz a insônia, queima calorias, tonifica os músculos e controla o colesterol.

  • Ativa a circulação sangüínea;
  • Trabalha a musculatuta pélvica, relacionada com os músculos da bexiga, ânus, pênis e vagina – pouco movimentada normalmente. Esses músculos, quando trabalhados, permitem o maior controle do órgão sexual feminino, o que gera mais prazer;
  • Deixa a pele mais viçosa;
  • Melhora a qualidade do sono;
  • Alivia dores de cabeça, reumáticas e menstruais;
  • Aumenta a Imunidade;
  • Aproxima o casal;
  • Dependendo da intensidade de uma relação sexual, pode haver uma queima de 100 calorias;
  • Libera alguns hormônios como endorfinas, que dão uma sensação de relaxamento, de prazer e de harmonia.

Dicas para combater o estresse e evitar doenças

De acordo com os médicos, o estresse é uma reação natural do ser humano e surge em situações de tensão ou medo. Pode desencadear reações como nervosismo, mau humor e até a violência. Quando acontece esporadicamente, é natural. O problema, dizem os especialistas, é quando vira rotina. saiba mais Entenda como o organismo reage a momentos de grandes emoções.
 
Confira dicas para diminuir o estresse no ambiente de trabalho O psiquiatra Kleber Meneghel Vargas diz que as pessoas não devem dar tanta importância para os pequenos problemas do cotidiano. "Uma forma que converso com o paciente é assim: essa situação, daqui a um período, vai ser importante? E as pessoas muitas vezes observam que, aquela situação que parece o fim do mundo, não vai ter repercussão nenhuma daqui uma semana, um mês, ou um ano", conta Vargas. Entre os problemas enfrentados por pacientes estressados, segundo o psiquiatra, estão as dificuldades no trabalho, alteração de sono, de apetite, e atitudes violentas. Ainda de acordo com Vargas, o estresse por ser o sintoma de algo mais grave.
 
"Muitas vezes, essa pessoa é portadora de problemas psiquiátricos como depressão, ansiedade, distinia, até problemas mais sérios como transtorno bipolar. O mau humor crônico, a irritabilidade crônica, muitas vezes são patologias", afirma. O neurolinguista Assis Silva dá dicas para quem precisa reduzir os níveis de estresse. "Sente em uma cadeira, solte o ar e vai relaxando o corpo. Inspire e relaxe os ombros. Isso pode ser feito várias vezes ao dia"
 

Caminhada: uma atividade simples e eficaz

 

A caminhada é uma atividade fácil de ser realizada, mas, mesmo que você caminhe todos os dias, isso não quer dizer que o faça corretamente.
  Caminhar a passos rápidos ou caminhar com força e ininterruptamente queima muito mais calorias do que a caminhada a passo normal.
 
Caminhar, principalmente para quem está iniciando um programa de atividades, é ideal para trabalhar a função cardiovascular, melhorando o nível de condicionamento físico; para ajudar na perda de peso e fortalecer os músculos das pernas e do bumbum; para reduzir a pressão sangüínea, os níveis de colesterol no sangue, o risco de doenças cardíacas, osteoporose, diabetes e o estresse. 
 
Além de poder ser feita em qualquer lugar, você pode alterar a intensidade da sua caminhada, aumentando a velocidade, percurso (subidas e descidas) ou a distância percorrida. Também é importante monitorar a freqüência cardíaca para que você possa compreender melhor como o seu corpo responde às diferentes intensidades de exercícios e, assim, realizar uma atividade segura e eficiente (trabalhe com 60% a 75% da freqüência cardíaca máxima, obtida subtraindo 220 da sua idade).
 
Quando você estiver realizando longas caminhadas de maneira fácil, poderá iniciar treinos intervalados, onde irá alternar caminhada e corrida, de preferência com acompanhamento de um professor de educação física.

Refrigerantes: Um Problema para os Dentes

 

Nas diversas regiões do Brasil, as pessoas usam palavras diferentes para identificar um refresco adocicado e gaseificado — o refrigerante. Porém, não importa o nome que se use, trata-se de algo que pode provocar sérios problemas de saúde bucal.
 
Os refrigerantes destacam-se como uma das fontes mais importantes de cárie dental presentes na dieta, atingindo pessoas de todas as idades. Ácidos e subprodutos acidíferos do açúcar presente nos refrigerantes desmineralizam o esmalte dental, contribuindo para a formação das cáries. Em casos extremos, o esmalte desmineralizado combinado com escovação inadequada, bruxismo (hábito de ranger os dentes) ou outros fatores pode levar à perda dental.
 
Bebidas sem açúcar, que respondem por apenas 14 porcento do consumo total de refrigerantes, são menos prejudiciais. Entretanto, elas são acidíferas e têm potencial para causar problemas.
 
O Que Fazer
 
Crianças, adolescentes e adultos podem se beneficiar com a redução do número de refrigerantes que consomem, e também com as terapias bucais disponíveis. Eis algumas medidas que você pode tomar:
 
- Substitua o refrigerante por bebidas diferentes: Tenha na geladeira bebidas que contenham menos açúcar e ácido, como água, leite e suco de fruta 100% natural. Ingira essas bebidas e estimule seus filhos a fazer o mesmo.
- Enxágüe a boca com água: Depois de consumir um refrigerante, faça um bochecho com água para remover vestígios da bebida que possam prolongar o tempo que o esmalte fica exposto aos ácidos.
- Use creme dental e solução para bochecho com flúor: O flúor reduz as cáries e fortalece o esmalte dental, portanto escove com um creme dental que contenha flúor, como o Colgate Total® 12. Fazer bochechos com uma solução com flúor também pode ajudar. Seu dentista pode recomendar um enxaguatório bucal que você compra na farmácia ou supermercado ou prescrever um mais concentrado dependendo da gravidade do seu problema. Ele também pode prescrever um creme dental com maior concentração de flúor.
- Faça aplicação de flúor com o profissional: Seu dentista pode aplicar flúor na forma de espuma, gel ou solução.Os refrigerantes são implacáveis com seus dentes. Reduzindo a quantidade que você ingere, praticando uma boa higiene bucal e buscando ajuda com seu dentista e higienista, você pode neutralizar seus efeitos e usufruir de uma saúde bucal melhor.
 
 
1 2
Voltar ao Topo