Pra Você

Saúde

Atividade física em excesso causa acúmulo de radicais livres

Radicais livres: mais uma salada de letras que assombra aqueles que se preocupam com a boa saúde e tem na atividade física regular um meio de obtê-la. 
 
Radicais livres são frações de moléculas, fragmentos, que resultam de todo o processo da produção de energia pelo tecido muscular. Eles são extremamente instáveis e sua ativação causa lesão do tecido muscular. 
 
Embora o metabolismo exigido na produção de energia para atividade física termine na formação desses radicais, além de outras moléculas, somente o excesso de exercícios, atividade física intensa e prolongada, faz com que o seu acúmulo seja prejudicial à saúde. Excluindo carências nutricionais e doenças, basta que a atividade física seja de intensidade moderada em seu volume semanal para prevenir o problema. 
 
A atividade física intensa consiste em um consumo máximo de oxigênio e é algo extenuante. Envolve realizar um treino por um período maior do que aquele com o qual estava habituada. Outras características são fazer um treino mais extenuante do que o normal e realiza-lo mais de três vezes por semana. 
 
No entanto, se por qualquer razão você for obrigado a se submeter a um treinamento intenso, esteja preparado para os efeitos nocivos como consequências do acúmulo desses radicais que vão desde dor devido ao processo inflamatório que se estabelece até grandes destruições de tecido muscular. 
 
Entre os fatores que desencadeiam a lesão muscular pelo efeito nocivo dos radicais livres, o estresse mecânico vinculado ao excesso, é um dos mais relevantes, principalmente se resultado de exercícios musculares excêntricos. Tratam-se daqueles que vão além da capacidade do músculo de produzir energia e assim ele realiza um movimento contrário a sua ação. Um exemplo disso é o cotovelo que se abre para fora quando a pessoa carrega muito peso. 
 
Como consequência, há fadiga e perda de força que é maior do que a produzida pelos trabalhos concêntricos, movimento a favor da contração do músculo, embora estes em excesso possam trazer efeito semelhante. 
 
É fácil perceber que a persistência da alta intensidade dos exercícios de maneira continuada e prolongada leva a danos ao tecido muscular. Estes danos podem ser permanentes e se agravam com a perda natural da força e resistência ocorrida com o passar dos anos. 
 
Outro ponto principal a ser esclarecido é a ação do oxigênio, ou da falta dele. A atividade física intensa e prolongada impede o adequado aporte de oxigênio, mais uma causa de estresse na produção de energia pelo músculo. Este fenômeno leva a uma menor produção de antioxidantes como as vitaminas A, E, C e de elementos como o zinco e magnésio, essenciais no bloqueio da indesejada ação dos radicais livres. 
 
Como prevenir o problema
 
Ficou com má impressão lendo este artigo? Então vamos desfazê-la: pratique atividade física moderada e regular que seus radicais livres serão naturalmente combatidos pela produção adequada de antioxidantes e você continuará usufruindo tudo o que de bom o exercício traz para o nosso organismo. Além disso, mantenha uma dieta balanceada com grande variedade de alimentos.  

Alimentos que oferecem mais energia

Em algumas situações pertinentes do nosso cotidiano, nos deparamos com a necessidade de fazer mais esforços, o que acaba demandando mais energia. Muitas pessoas acabam recorrendo à alguma vitamina, ou até mesmo, não dando a importância devida para esse tipo de problema que poderia ser resolvido de uma maneira simples, uma dela é: Ingerindo Alimentos que oferecem energia e disposição. Por isso listamos alguns alimentos energéticos:

Ovo: ajuda na recuperação dos esforços físicos
 
Salmão: auxilia na reconstrução muscular
 
Leite: tonifica os músculos
 
Couves, Espinafres, Açaí, Cenoura, Vagem, Rabanete, Tomate, Morango, Abóbora, Repolho, Laranja, Tofu.
 

Mamão e seus benefícios

Esta delícia de fruta é calmante, digestiva e laxativa, sendo bastante indicada para quem possui o estômago sensível, quer manter o peso ou está querendo emagrecer, pois possui baixas calorias.

O mamão possui ainda alta quantidade de beta-caroteno, característico de frutas de tons alaranjados. O Beta-caroteno quando ingerido atua como formador de vitamina A. Já a Vitamina A, atua no combate a doencas de pele, cegueira noturna e queda de cabelos.
Mas não exagere! O consumo de vitamina A pode causar acúmulo dessa vitamina no organismo e com isso gerar doenças tão perigosas quanto as doenças causadas pela carência de vitamina A.
 

Não deixe a maquiagem envelhecer você

 

Quando você era criança, uma de suas brincadeiras preferidas era pegar as maquiagens da sua mãe e se pintar para parecer mais mocinha (mesmo que, na verdade, o resultado final fosse de um palhaço)? A maquiagem faz parte da vida de todas as meninas desde pequenas, sendo que ela tem um alto poder de transformação e deve ser usada com sabedoria para não criar um visual errado.
 
Quando a mulher é mais jovem, a maquiagem é um trunfo usado para parecer mais velha. Já quando atingimos certa idade, o make pode e deve ser usado como um aliado para proporcionar uma aparência mais jovial.
 
Se você acha que o seu make está lhe deixando com o visual envelhecido, é preciso ficar atenta a alguns pontos que estão causando isso. Por exemplo: pesar a mão na base e usar muito lápis preto nos cílios inferiores são alguns dos erros cometidos.Além disso, uma pele ressecada e maltratada também contribuiu para que a maquiagem não tenha um bom efeito. É necessário cuidar bem da epiderme com esfoliação, tonificação e hidratação com produtos adequados. O uso do filtro solar é imprescindível para prevenir danos na pele, valendo para mulheres de todas as idades. Tomando esses cuidados, o make será bem aproveitado e trará um resultado mais saudável e bonito.
 
Além desses fatores, na hora de se maquiar é importante seguir alguns truques importantes, que valem muito na hora de ficar mais bonita, sem que a maquiagem envelheça a sua aparência. Confira abaixo algumas dicas valiosas que o TodaEla separou para você e quais erros evitar:
 
Não aplique lápis preto nos cílios inferiores. O uso do produto dessa forma pode deixar os olhos mais caídos e menores, além de atrair a atenção para olheiras, flacidez e linhas de expressão. Prefira usar o lápis (preto ou marrom) na pálpebra superior como um delineador, realçando os cílios com rímel. Assim você levanta o olhar, fazendo os olhos parecerem maiores e destacados;Não exagere na base, deixando o efeito “reboco”. Não tem como ficar bonita com aquele visual de “massa corrida” na pele, não é verdade? Tenha você 15, 20, 30 ou 40 anos, seja qual for a sua idade, pesar a mão numa base muito densa não é legal e envelhece demais a aparência. Para um look mais suave e jovem, hidrate a pele normalmente, use um primer (se necessário) e prefira uma base mais fluida e translúcida. Espalhe bem o produto com a ajuda de uma esponjinha, observando atentamente se a pele ficou homogênea e natural;
Use o corretivo com moderação. Utilizar muito corretivo nas olheiras, por exemplo, pode criar uma camada grossa do produto, que acabará ficando marcada, chamando ainda mais atenção para a imperfeição. Aplique o produto com leves batidinhas para um efeito mais suave. Lembre-se também de não escolher um tom muito mais claro do que o da base para não ficar com o visual “panda”;O uso de muito pó também causa um visual pesado, formando linhas nas áreas expressivas do rosto. E não é isso que você deseja, certo? Passe apenas umas pinceladas leves para tirar o brilho da pele;
Fique atenta a cor da sua base. Não utilize uma tonalidade muito mais clara do que o tom da sua pele. Isso envelhece e cria o efeito “máscara” ou mesmo o “fantasma”, que é pior ainda... Muita gente só se dá conta do erro depois de ver alguma foto assustadora do visual de cara branca. Então, não arrisque e use a base que combine com o seu tom de pele;
O uso do blush deve ser suave e natural. Evite marcar demais o rosto com o produto com traços fortes que vão das têmporas até as bochechas. Isso só funciona em desfiles e editorias de moda. Para o dia a dia ou mesmo em produções de balada, o blush aplicado levemente nas maçãs do rosto com cores mais neutras é a opção mais acertada, deixando o visual saudável, jovem e elegante. Prefira tons como o rosa queimado e o pêssego;
Apesar de ser ótimo para levantar o olhar, o uso da máscara de cílios deve ser moderada, pois em grande quantidade o produto pode acabar ressaltando linhas de expressão e deixando o olhar pesado. Não exagere nas camadas e passe o suficiente para dar um destaque à área. Rímel aplicado exageradamente também pode deixar bolinhas e engrossar demais os cílios, o que prejudica o visual;
O delineador é um bom aliado para deixar o olhar mais bonito. Prefira as versões em pó para serem aplicadas com pincel chanfrado. Assim você controla melhor a quantidade e o produto não irá pesar nas pálpebras;As sobrancelhas também merecem destaque, mas sem exageros. Realce-as levemente com uma sombra do mesmo tom dela, apenas para cobrir possíveis falhas e marcá-las de forma discreta e elegante;
Apesar de serem tendências fortes de maquiagem atualmente, as sombras de tons brilhantes e metalizadas podem envelhecer o olhar, ressaltando mais as linhas e a flacidez das pálpebras. Prefira sombras opacas e matte de tons mais neutros. Para dar uma levantada no olhar e iluminar, uma sombra clara (nude ou creme) logo abaixo das sobrancelhas também é uma boa dica;Na hora de escolher um batom que deixará seu visual mais jovem, deixe os escuros e metálicos de lado e prefira os mais neutros, como os rosados, de tons terrosos e nude, com um toque leve de gloss para aumentar os lábios.Seguindo essas dicas, você pode aproveitar o melhor da maquiagem, que é deixá-la ainda mais bonita e jovem. O importante é respeitar o perfil de sua idade e usar a maquiagem sem exageros, a fim de valorizar a sua beleza natural.

Cuidados com os pés

 Com o início do calor, o uso de sandálias ou calçados abertos faz com que a atenção se volte para os pés. É nesse momento em que você redobra a preocupação com o aparecimento de micoses, ressecamentos e rachaduras, por exemplo.
 
“Esses processos são provavelmente adquiridos no inverno, com o uso de sapatos fechados e a falta dos cuidados diários, mas se tornam mais evidentes no verão. Além disso, com o calor, pode ocorrer o aumento da transpiração no local. Se for excessiva, deve-se procurar a avaliação de um profissional para a orientação do tratamento adequado”, explica o dermatologista Otávio Macedo.
 
Para evitar o ressecamento e infecções fúngicas dos pés e das unhas, os cuidados diários são a melhor saída.
 
– Atenção à higiene: “Lave os pés com o auxílio de uma esponja natural e seque-os bem, principalmente entre os dedos”, orienta o médico.
 
– Evite calçar sapatos fechados imediatamente após o banho. Espere ao menos uma hora.
 
– Esfolie os pés uma vez por semana com produtos adequados. Esse cuidado ajuda na remoção de células mortas.
– Hidrate os pés diariamente. Use produtos emolientes próprios para essa região. “A hidratação é essencial para mantê-los saudáveis e ainda evita que ocorra o engrossamento da pele, o ressecamento, a descamação e até mesmo rachaduras e sangramento. Pés ressecados favorecem ainda a ocorrência de infecções por fungos e bactérias”, alerta o dermatologista.
 
– Use calçados confortáveis. Para sapatos fechados, como tênis, procure usar meias de algodão, que absorvem melhor a transpiração.
 
– Se for necessário utilizar sapatos sociais de salto, opte por modelos adequados ao formato do seu pé, que não apertem, evitando a formação de bolhas, calosidades ou até mesmo deformidades, como o joanete.
 
– Apare as unhas, em média, a cada 15 dias. “Use tesoura, alicate ou lixas. O corte deve ser reto, sem retirar os cantos para evitar que encravem”, orienta Otávio.
 
– Não deixe que as unhas fiquem muito compridas, pois, nesse caso, podem acumular resíduos e facilitar a infecção por fungos.
 
– Se possível, deixe as unhas sem esmalte por um dia na semana e hidrate-as com óleos apropriados. “Examine o aspecto das unhas e, se houver qualquer alteração, busque avaliação do dermatologista”, avisa o médico.
 
– “Evite lixar os pés com frequência, exceto em alguns casos. Na maioria das pessoas, se houver cuidados diários com a hidratação e o uso de calçados adequados, apenas a esfoliação uma vez por semana seguida de hidratação é suficiente. Entretanto, nos casos em que já existe um engrossamento significativo da pele, pode-se lixá-la ocasionalmente, mas não deve se tornar um hábito, já que ela é a proteção dos pés”, explica.
 
– Escolha sua pedicure com atenção. Avalie se o material utilizado é esterilizado em autoclave e se os demais itens são descartáveis. Para mais informações, leia “No salão, proteja a sua saúde”.
 
Fonte:Portal vital
 
Link:http://www.portalvital.com/saude/cuidados/cuidados-com-os-pes

Relação entre sono e obesidade

Sabemos que a genética desempenha um fator importante na determinação do peso corporal, ou seja, se um indivíduo tem uma “tendência” ou predisposição a ser mais magro ou não. Entretanto, os fatores ambientais como hábitos alimentares ruins e sedentarismo são considerados como principais vilões em relação aos índices crescentes de obesidade vistos em todo o mundo.
 
Entre as variáveis importantes que determinam o peso corporal destaca-se também a capacidade de uma pessoa dormir adequadamente à noite ou o que se chama: “padrão de sono noturno”. Acredita-se que um sono ruim teria papel central na predisposição a ganho de peso e até possa prejudicar o emagrecimento. Infelizmente, o número de jovens adultos com duração de sono inferior a sete horas por noite é muito alto (quase 40%).
 
De acordo com a endocrinologista Claudia Chang, “diversos estudos indicam que pessoas que dormem menos de 6 horas por noite têm maior chance de se tornarem obesas”.
 
Existem alguns distúrbios do sono, por exemplo, como a síndrome de apnéia obstrutiva do sono, na qual a pessoa tem pausas respiratórias, às vezes prolongadas, durante o sono associado em geral a ronco, e que segundo Claudia Chang, “leva a uma grande dificuldade de perda de peso e pior, até ganho!” Isto acontece porque durante o episódio da apnéia, há a parada do fluxo respiratório, liberação de hormônios (insulina, adrenalina, cortisol) que geram ganho peso. ”Sim, é como se estivéssemos comendo um bolo de chocolate enquanto dormimos”, exemplifica a endocrinologista.
 
“O reconhecimento, então, da síndrome de apnéia obstrutiva do sono é fundamental em pessoas que querem perder peso ou não estão conseguindo e seu tratamento não somente ajuda no processo de emagrecimento, mas também auxilia no controle da pressão arterial e até do diabetes, quando presentes”.

Batata faz bem para o coração

Porém, não foram 18 participantes comuns, trata-se de um estudo com pessoas com sobrepeso ou obesas e que além do mais têm a pressão arterial alta. De acordo com o estudo, a ingestão de batata-roxa melhorou a saúde dos participantes de forma considerável. As batatas foram cozinhadas sem a utilização de azeites ou manteigas, enfim, sem gorduras.
 
De acordo com o nutricionista da Unifesp, João Victor Fornari, a batata-roxo não deve ser confundida com a batata-doce de interior amarelo. “Estamos falando de uma espécie silvestre de batatas com a casca e a polpa roxas. Tem sabor adocicado e pode ser usada par preparar um doce de textura pastosa e é muito apreciado por praticantes de atividades físicas”, revela.
 
No estudo, os participantes deviam se alimentar duas vezes ao dia com até oito batatas médias e roxas (do tamanho de uma bola de golfe) cozinhadas no forno de micro-ondas, somando um total de 218 calorias diárias. Os resultados foram reveladores: o consumo de batatas foi associado à diminuição de 3,5% da pressão arterial sistólica e cerca de 4,3% da diastólica. Além disso, nenhum dos indivíduos estudados ganhou peso.
 
Segundo os cientistas, a batata-roxa é uma fonte rica em antioxidantes que ajudam a reduzir a tensão arterial. O truque é comer a ‘pele’ dessas batatas porque a casca contêm muito mais desses antioxidantes e também é rica em potássio (outro elemento que ajuda a reduzir aa pressão arterial).
 
A maioria dos participantes estava tomando medicação para o estresse e mesmo assim os resultados foram positivos. De acordo com Joe Vinson, professor de química da Universidade de Scranton, a batata roxa e branca são semelhantes. Por isso, comer a pele de ambas pode ser benéfico ao coração.
 
Mais
 
De acordo com Fornari, a batata-roxa é originária do Peru e possui uma grande quantidade de polifenóis, nutrientes naturais que desempenham um papel importante na redução do risco de doenças cardíacas. Os polifenóis são compostos solúveis em água com poder antioxidante (podem ser encontrados também em frutas, mel, brócolis, aipo, cebola, salsa, vinho tinto, chá verde, chá branco ou azeite).
 
O nutricionista Fornari ainda diz que uma das vantages da batata-roxa é sua condição estutural ser classificada como um alimento de índice glicemico intermediário ou moderado. “Alguns estudos o classificam com baixo índice glicemico levando em conta a sua
resposta a porção glicemica. Ele pode ser usado em atividades físicas por proporcionar uma resposta mais lenta na absorção da glicose e também favorece atletas de atividades de resistência no inicio do exercício, não devendo ser usado em atividades de resistência ao decorrer da atividade.”

Como manter o peso

Para manter o peso foi desenvolvido um trinômio que traz resultados permanentes para você. O tratamento para a perda de peso e sua manutenção baseia-se em três pilares: reeducação alimentar, exercícios físicos e estabilidade emocional.

A reeducação alimentar é um processo de aprendizagem exercido através de orientações nutricionais específicas, onde o indivíduo conhece e aprende novos hábitos alimentares, proporcionando a escolha correta dos alimentos das suas refeições, tanto em nível qualitativo quanto quantitativo.
 
Reeducação alimentar não é regime, mas a forma de resgatar o verdadeiro sentido da alimentação: nutrir o corpo de maneira mais saudável possível. Pode ser aplicada em pessoas que possuem hábitos alimentares inadequados, com caráter preventivo e terapêutico.
 
A atividade física de qualidade deve ser devidamente monitorada. Não adianta nada tentar corre no parque um dia e nunca mais aparecer por lá. A orientação de um médico ou de um professor de educação física é essencial para que você perceba seus limites. Segundo alguns profissionais, 40 minutos diários de caminhada já são de grande auxílio.
 
Além da caminhada, os exercícios bons para perder peso são natação, corrida, bicicleta e ginástica aeróbica. Exercícios como musculação e ginástica localizada são ineficientes para ajudar na perda de peso. Servem para definir a musculatura e evitar a flacidez.
 
Os fatores psicológicos são importantes para perder peso e manter o peso perdido. A força de vontade de que tanto se fala, reside muito no fato de você procurar e assegurar uma estabilidade emocional que lhe permita “enfrentar” as mudanças de hábitos que se submeteu, e chegar ao fim a que se propôs.
 
Na verdade, a força de vontade não é uma questão de querer somente. Racionalmente a pessoa está com sobrepeso quer (e precisa) emagrecer, mas os seguidos fracassos que experimentou em tentativas de diferentes dietas diminuem sua força de vontade. Por isso, muito mais do que querer é preciso persistir.
 
Uma das formas de fazer essa força de vontade prevalecer é valorizar as menores conquistas. Isso reforça muito a auto-estima e se converte em uma ferramenta importante na luta contra o sobrepeso.
 
Com o trinômio (alimentação equilibrada, exercícios físicos e estabilidade emocional) pode-se, sim, manter um peso saudável.
 

Benefícios do sexo

Que o Sexo faz bem para a saúde todo mundo sabe, mas muitos não sabem quais são esses benefícios. O sexo melhora o funcionamento do nosso sistema de defesa, melhora a aparência da pele, reduz a insônia, queima calorias, tonifica os músculos e controla o colesterol.

  • Ativa a circulação sangüínea;
  • Trabalha a musculatuta pélvica, relacionada com os músculos da bexiga, ânus, pênis e vagina – pouco movimentada normalmente. Esses músculos, quando trabalhados, permitem o maior controle do órgão sexual feminino, o que gera mais prazer;
  • Deixa a pele mais viçosa;
  • Melhora a qualidade do sono;
  • Alivia dores de cabeça, reumáticas e menstruais;
  • Aumenta a Imunidade;
  • Aproxima o casal;
  • Dependendo da intensidade de uma relação sexual, pode haver uma queima de 100 calorias;
  • Libera alguns hormônios como endorfinas, que dão uma sensação de relaxamento, de prazer e de harmonia.

Salão de beleza: utilize sem prejudicar sua saúde!

 
Manicure e pedicure:
 
- o ideal é levar seu próprio estojo de instrumentos para o tratamento de suas unhas;
 
- todos os instrumentos não descartáveis, utilizados por manicures, pedicures e podólogos, devem ser lavados, secados, embalados e esterilizados na autoclave (equipamento mais indicado para este fim), ou estufa; 
 
- para o amaciamento de cutículas o creme amaciante é a melhor opção. Se for utilizar bacias para imersão de pés e mãos, essas devem ser lavadas e revestidas com protetores plásticos descartáveis; 
 
- os produtos mais seguros para estancar o sangue quando ocorrer ferimentos, são o spray e o pó hemostático. Não é indicado usar o bastão hemostático. 
 
Doenças graves como hepatite e aids podem ser adquiridas em pequenos ferimentos causados por instrumentos contaminados ou mal esterilizados.
 
Depilação:
 
As ceras depilatórias não podem ser reaproveitadas, devido à possibilidade de transmissão de doenças.
 
Cuidados com os cabelos:
 
- as escovas e pentes devem estar limpos e sem fios de cabelo de outros clientes;
 
- alisantes com formol são proibidos e podem causar descamação e vermelhidão no couro cabeludo, queda de cabelos, alergias e até câncer;
 
- o profissional deve fazer os testes de alergia recomendados pelos fabricantes antes de usar qualquer produto.
 
Os produtos utilizados deverão ser registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde e estar dentro do prazo de validade. O profissional deve prestar todas as informações solicitadas pelos clientes.
 
 
Maquiagem:
 
Compartilhar cosméticos pode ser um risco para a saúde (por exemplo: herpes, conjuntivite), por isso é recomendado levar ao salão os produtos a serem utilizados nos olhos e nos lábios.
 
A escolha criteriosa de um salão de beleza é necessária, pois muitas doenças de pele, cabelos e unhas podem adquiridas se as condições de higiene não forem observadas.
 
Fique de olho!
 
 
- toalha: deve ser de uso único e individual, ou seja, trocada a cada cliente;
 
- lavatório: deve possuir toalhas de papel, sabonete líquido e lixeira. O profissional deve lavar as mãos antes e depois do atendimento de cada cliente; 
 
- lâminas: devem ser trocadas a cada cliente e descartadas;
 
- esterilização: o estabelecimento deve ter os equipamentos (autoclave ou estufa) necessários para a esterilização dos instrumentos. Fornos elétricos não esterilizam esses materiais; 
 
- lixo: lâminas e outros artigos cortantes devem ser descartados em lixeira própria.
 
Observe se a esterilização está sendo feita. Isso é importante para evitar a transmissão de doenças. A falha mais freqüente em salões de beleza é a falta de esterilização dos instrumentos.
 
Fonte: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/241_salao_de_beleza.html

Cerveja diminui em 31% os riscos de doença no coração

Boa notícia tem que ser repassada, e essa é excelente. Mesmo assim, vale ressaltar que o exagero acaba agravando as coisas e vamos lembrar que o ideal continua sendo beber menos e melhor.
 
A novidade para quem curte uma cervejinha é que: Uma pesquisa da Fondazione di Ricerca e Cura, na Itália, aponta que beber cerveja com moderação diminui os riscos de problemas cardíacos em 31%. Estudos anteriores já haviam mostrado que o vinho tinha as mesmas propriedades.
 
Os pesquisadores reuniram diversos estudos feitos no último ano sobre o assunto. Ao todo, os dados observaram o comportamento de 200 mil pessoas que bebem e os efeitos em seus corações.
 
Exagerar na gelada, entretanto, tem efeito contrário. “Quando o consumo aumenta, você vê que as vantagens desaparecem, até que o risco fica maior”, explica uma das cientistas, Simona Costanzo.

Postura e descanso são importantes para evitar lesões por repetição

O corpo humano não foi projetado para muitas das atividades que hoje pertencem à nossa rotina. Ficar sentado diante do computador durante horas, todos os dias, pode causar dores, dificuldades de movimentação e formigamento nos dedos. Esses e outros sintomas estão ligados à LER (lesão por esforço repetitivo), tema do Bem Estar.

A LER não é uma doença propriamente dita, mas engloba todos os problemas nos ossos e músculos que tenham origem em atividades repetitivas. Normalmente, o mal está ligado ao trabalho, mas isso não é regra. Para esclarecer o assunto, recebemos a terapeuta ocupacional Maria Cândida Luzo e o preparador físico José Rubens D’Elia, consultor do programa. Participou também a banda “Músicos do Futuro”, pois seus músicos exercem uma função que exige muita repetição e movimentos precisos. As lesões são mais recorrentes em pessoas que digitam muito ou apertam mouse, atendem e transferem telefonemas ou fazem fotocópias. Em casa, os serviços domésticos também desencadeiam problemas, por isso é preciso segurar corretamente panelas e vassouras. A lesão mais comum é a tendinite, uma inflamação nos tendões. Outras recorrentes são a síndrome do túnel do carpo, a tendinite de Quervain, o dedo em gatilho e o cotovelo de tenista. Os especialistas falaram, ainda, sobre os cuidados que se deve ter para evitar o surgimento de dores. Três aspectos são fundamentais para reduzir os riscos: é preciso fazer pausas durante qualquer atividade e saber respeitar os limites do corpo; a altura e a posição dos aparelhos precisa estar adaptada à pessoa; e é necessário ter atenção com a postura. Em qualquer atividade que se faça, é importante usar todo o corpo. Pense no movimento que você realiza, por exemplo, quando se abaixa para pegar um objeto pesado no chão – o ideal é dobrar os joelhos e usar as duas mãos. Esse tipo de raciocínio serve para todos os trabalhos braçais.

No caso do computador, em que a LER é comum, o que se deve observar é a posição dos objetos. A cadeira e a mesa devem ficar na altura que proporcione maior naturalidade e conforto a quem estiver sentado. A posição mais recomendada do monitor é à altura dos olhos, para evitar que a pessoa abaixe a cabeça e force o pescoço. Para usar o teclado e o mouse, o ideal é que o cotovelo forme um ângulo de 90 graus. Os dois pés devem ficar apoiados no chão e, se a máquina for compartilhada por indivíduos de alturas diferentes, o uso de almofadas pode resolver o problema.

Maria Cândida aproveitou para dar dicas sobre os laptops, computadores portáteis que muita gente usa em casa. Para utilizá-lo no colo, é preciso tomar alguns cuidados: recostar-se bem no assento, apoiar os pés no chão e colocar algum objeto para deixar o computador um pouco mais alto. Ainda assim, o ideal é colocá-lo sobre a mesa.

Quando o notebook ficar em cima da mesa, deve ser usado da mesma maneira que o desktop - computador convencional. Para isso, é recomendado colocar um suporte debaixo do computador, para que ele não fique muito baixo em relação aos olhos. Teclado e mouse também devem ficar na altura certa.

Fonte: Biolab

Link: http://biolablab.com.br/site/index.php/component/k2/item/100-postura-e-descanso-s%C3%A3o-importantes-para-evitar-les%C3%B5es-por-repeti%C3%A7%C3%A3o

Feche a porta de seu salão para contaminação

Você sabia, que ao compartilhar alicates, espátulas e outros materiais das manicures e estes não estiverem devidamente esterilizados você pode contrair doenças?

A Hepatite por exemplo, é uma inflamação do fígado causada por um vírus e pode ser transmitida apenas por uma gota de sangue. 

Onicomicose (micose nas unhas), é uma infecção causada por fungos, também pode ser contraída pelo compartilhamento de materiais não esterilizados. Essas são algumas das doenças mais comuns, o importante é prevenir e esterelizar todos os materiais.

Em primeiro lugar, os materiais devem ser lavados e acomodados em embalagens apropriadas, antes de passar pelo processo de esterilização. Se for em estufa, deve-se ter muito cuidado com o tempo e temperatura corretos para efetiva esterilização. O tempo para a estufa é de 1 hora à 170°C e de 2 horas à 160°C. Quem esteriliza em autoclave deve seguir as instruções de uso do fabricante, sendo o tempo essencial de 15 a 30 minutos à 121°C.

Alimentação saudável na gravidez

Ajuste sua alimentação, mesmo que ela já seja boa Agora que você está grávida, é importante tentar aumentar a ingestão de determinados nutrientes (como ácido fólico, ferro, cálcio e proteína).

O consumo de calorias pode aumentar um pouquinho conforme a gravidez avança. Se você não era de se preocupar muito com a comida, agora vale a pena passar a fazer refeições mais pensadas e equilibradas. Limite a quantidade de guloseimas e de fast food, que têm muitas calorias e poucos nutrientes.

Quer ver algumas sugestões de cardápio e receitas para cada fase da gravidez? Clique aqui. Durante a gravidez, seu corpo trabalha de forma ainda mais eficiente, tirando o máximo de energia do que você come. Por isso, nos primeiros seis meses de gestação a maioria das mulheres nem precisa comer mais do que já comia. Só nos últimos três é que é aconselhável comer 200 calorias a mais, mas isso não quer dizer quase nada, já que 200 calorias equivale a meras duas torradas com manteiga, por exemplo.

Guie-se pelo seu apetite, que pode variar dependendo da fase da gravidez. Nas primeiras semanas ele pode sumir, por causa do enjoo. Mas às vezes, em especial à noite (ou no meio da madrugada), é provável que você sinta a necessidade súbita de comer alguma coisa para preencher um "buraco no estômago".

No segundo trimestre, seu apetite deve ficar igual ao que era, ou um pouco maior. No terceiro, você deve ficar com mais fome, mas precisa tomar cuidado porque serão mais frequentes a azia e a má digestão. Se você estiver engordando pouco e seu médico estiver satisfeito, não precisa ficar controlando a alimentação. Só tente comer as comidas certas.

Quais são as comidas erradas? A grávida pode comer quase tudo, mas deve evitar alguns tipos de alimentos. São eles: peixes e frutos do mar crus, como ostras e sushi (o sushi pode ser ingerido se o peixe tiver sido congelado antes). queijos de casca branca, como brie e camembert, e queijos com fungos, como roquefort e gorgonzola. Evite também queijos do tipo frescal (ou "minas"), que podem ser feitos com leite não-pasteurizado. O problema é a possível presença de uma bactéria que causa a listeriose, doença que pode prejudicar o bebê. carne bovina malpassada ou crua (como carpaccio), carne de porco malpassada e ovos crus (como massa de bolo, gemada, ovo frito com gema mole e algumas sobremesas -- musses, por exemplo). A precaução é para evitar bactérias que possam afetar o bebê. bife de fígado e miúdos, para evitar a sobrecarga da forma retinoica da vitamina A, que pode ser prejudicial ao feto. cação, peixe-espada e tubarão, que podem conter níveis perigosos de mercúrio. O atum deve ser limitado a quatro latas por semana ou dois filés frescos por semana, pelo mesmo motivo. Outros peixes são seguros e fazem bem ao bebê e a você.

As recomendações quanto ao mercúrio valem também para quem está pensando em engravidar e para o período de amamentação. se você tiver na família pessoas com alergias (a nozes, castanhas ou amendoim, por exemplo), é bom evitar esses alimentos na gravidez. bebidas alcoolicas.

O consumo de álcool pode causar sérios problemas no bebê, por isso os especialistas recomendam cortar totalmente as bebidas alcoolicas na gravidez. bebidas e alimentos com cafeína. Pesquisas ligaram o consumo de mais de 300 mg de cafeína por dia ao risco de aborto espontâneo e de a criança nascer com baixo peso, e um estudo especulou que até doses bem pequenas de cafeína já podem influenciar na perda do bebê. Não tome mais que três xícaras de café por dia, e, se possível, prefira bebidas descafeinadas.

Tome vitamina pré-natal Num mundo ideal -- em que não existisse enjoo, por exemplo --, não seria tão difícil manter uma alimentação equilibrada. Mas, no mundo real, é mais garantido recorrer a um suplemento vitamínico pré-natal para ter certeza de que seu corpo receberá todos os nutrientes de que precisa. Converse com seu obstetra. O ácido fólico é um suplemento especialmente importante, que deve ser tomado até antes de engravidar, e durante os três primeiros meses da gestação. A deficiência desse tipo de vitamina B está ligada a problemas na formação neurológica do bebê, como a espinha bífida. A recomendação mínima é de 400 mcg de ácido fólico ao dia.

Os médicos costumam receitar um suplemento mais completo, com várias vitaminas e ferro, a partir do terceiro mês, quando os enjoos melhoram e a vitamina é mais bem tolerada pelo estômago. Se você for vegetariana ou tiver algum problema de saúde como diabete, diabete gestacional, pré-eclâmpsia ou anemia, ou se no passado já teve um bebê de baixo peso, o médico provavelmente terá orientações especiais para a sua alimentação, ou ele pode encaminhá-la para um nutricionista. Lembre-se, porém, de que nem sempre a vitamina é boa.

Suplementos de vitamina A contêm retinol, por exemplo, que pode ser tóxico ao bebê em grandes quantidades. Não faça regime Fazer dieta durante a gravidez pode prejudicar o bebê e você também. Dependendo do tipo de regime, você pode ficar com deficiência de ferro, de ácido fólico e de outras vitaminas e sais minerais importantes. Lembre-se de que engordar faz parte da gravidez. Comer bem e na quantidade certa é especialmente importante para grávidas de menos de 20 anos.

Mulheres que comem bem e que engordam o recomendável têm mais probabilidade de ter bebês saudáveis. Se você está comendo alimentos saudáveis e está engordando, relaxe: é isso que tem de acontecer! Quem era bem magra antes de engravidar tem mais "tolerância" para engordar. Se você já estava acima do peso antes de engravidar, pode melhorar a qualidade da sua alimentação, eliminando guloseimas e comidas gordurosas demais e começando a fazer atividade física (sempre consultando o médico antes). Para quem estava acima do peso, pesquisas já mostraram que não há problema em não engordar nada durante a gravidez, ou até emagrecer, pois as reservas de gordura acumuladas no seu corpo vão suprir as necessidades calóricas do bebê. Engorde aos poucos O ganho de peso varia de mulher para mulher, e depende de vários fatores. Em países como o Reino Unido a balança já nem faz mais parte das consultas do pré-natal, porque os médicos não veem necessidade de um controle rígido do peso. A média de ganho de peso na gravidez parece estar entre 8 e 15 kg.

Mas, em vez de pensar na balança, concentre-se na qualidade do que come: muita fruta, legumes e verduras, boas quantidades de proteína e só um pouco de gordura e açúcar. Para saber mais, consulte nosso artigo sobre ganho de peso na gravidez. Faça pequenas refeições em intervalos regulares Mesmo que não esteja com fome, é melhor não deixar o estômago muito tempo vazio. É aconselhável fazer cinco ou seis pequenas refeições em vez das três grandes refeições tradicionais, principalmente se você estiver sofrendo muito com enjoos, azia ou má digestão. Não pule refeições, porque o bebê precisa estar constantemente alimentado. Uma guloseima aqui ou ali não faz mal Não há por que abrir mão de tudo o que você gosta só porque está grávida.

Mas também não é bom deixar que alimentos industrializados, salgadinhos e doces formem a base da sua alimentação. Na hora da vontade de comer aquela guloseima, experimente colocar uma banana no microondas com um pouco de canela, ou tome uma batida de iogurte com frutas congeladas. Você só tem a ganhar se conseguir achar uma guloseima "mais saudável"! E, de vez em quando, por que não mergulhar naquele maravilhoso bolo de chocolate ou num brigadeiro? Aproveite cada pedacinho, você merece!

Caminhadas e Corridas

Para quem quer sair do sedentarismo e ir progredindo aos poucos, uma das dicas é introduzir uma rotina que inclua caminhadas e corridas. Rapidamente, você ganhará condicionamento físico e passará a se sentir melhor.
 
Alguns beneficios de caminhadas e corridas são:
 
-Queima de calorias
 
- Facilitação do controle da pressão arterial.
 
- Melhora qualidade do sono.
 
- Auxílio na diminuição do colesterol.
 
- Melhora no humor.
 
- Melhora circulação sanguínea.
 
- Diminuição da sensação de cansaço no dia a dia.
 
Alternar os exercícios
 
É sugerido caminhada e corrida alternadas para qualquer tipo de praticante. “Essa prática seria interessante, por exemplo, para iniciantes que não conseguem manter o ritmo prolongado por muito tempo.” Isso estimula seu corpo a ir se acostumando aos poucos com a intensidade que a corrida contínua exige.
 
Também é recomendado que procure um médico antes de tudo, para que seja realizado ao menos dois tipos de exames: físico e ergométrico. No exame físico, o profissional analisa se a atividade física auxiliará ou prejudicará a sua saúde. Além disso, pode indicar o melhor tipo de calçado, ou piso, para você começar a realizar o seu esporte sem traumas.
 
Já o teste ergométrico medirá em qual intensidade você deve iniciar. No teste, o médico consegue saber qual a sua aptidão cardiorrespiratória, ou seja, qual a frequência cardíaca máxima (e confortável) que o seu coração aguenta praticar um esporte. Cada pessoa possui uma capacidade. Portanto, faça o exame e respeite o seu potencial inicial. 
 

Carne vermelha reduz fertilidade masculina, diz estudo

Uma alimentação nutricionalmente pobre e obesa baixa a fertilidade do homem, segundo pesquisa do Centro de Fertilização Assistida de São Paulo. O estudo ainda sugere que carne vermelha, café e álcool devem ser cortados dos hábitos alimentares.
 
Os pesquisadores sugerem que, para uma maior produção de espermatozoides, a dieta masculina deve ser rica em grãos e frutas. A chance de uma fertilização bem sucedida em indivíduos que seguem essa dieta aumentam consideralmente, de acordo com os dados do Centro.
 
“A concentração de esperma é influenciada negativamente pelo índice de massa corpórea (IMC) e o consumo de álcool, e possivelmente é positivamente influenciado pelo consumo de cereais e pelo número de refeições por dia”,  explica o responsável pelo estudo, Edson Borges.
 
Os pesquisadores estudaram 250 homens que procuraram ajuda por meio da injeção intracitoplásmica de sêmen, um tipo de fertilização in vitro. Cada participante respondeu um questionário sobre hábitos alimentares, álcool e cigarro antes de realizar o procedimento.  Os homens mais saudáveis tiveram mais êxito em engravidar suas mulheres.

Principais tratamentos para varizes

 

Dependendo do tipo de variz, existem formas de tratamento mais adequados. O importante é começar cedo, pois, quanto mais desenvolvidas estiverem as varizes, mais dolorosa e demorada vai ser a solução. 
 
Para as varizes pequenas, a escleroterapia é o método mais utilizado, e consiste na aplicação de injeções nas veias. Essas aplicações também podem ser feitas sem injeção, por laser ou radiofreqüência.
 
Para as varizes de maior calibre, o método é o da microcirurgia, que, na maioria dos casos, pode ser feita até em ambulatório com anestesia local.
 

Refrigerantes: Um Problema para os Dentes

 

Nas diversas regiões do Brasil, as pessoas usam palavras diferentes para identificar um refresco adocicado e gaseificado — o refrigerante. Porém, não importa o nome que se use, trata-se de algo que pode provocar sérios problemas de saúde bucal.
 
Os refrigerantes destacam-se como uma das fontes mais importantes de cárie dental presentes na dieta, atingindo pessoas de todas as idades. Ácidos e subprodutos acidíferos do açúcar presente nos refrigerantes desmineralizam o esmalte dental, contribuindo para a formação das cáries. Em casos extremos, o esmalte desmineralizado combinado com escovação inadequada, bruxismo (hábito de ranger os dentes) ou outros fatores pode levar à perda dental.
 
Bebidas sem açúcar, que respondem por apenas 14 porcento do consumo total de refrigerantes, são menos prejudiciais. Entretanto, elas são acidíferas e têm potencial para causar problemas.
 
O Que Fazer
 
Crianças, adolescentes e adultos podem se beneficiar com a redução do número de refrigerantes que consomem, e também com as terapias bucais disponíveis. Eis algumas medidas que você pode tomar:
 
- Substitua o refrigerante por bebidas diferentes: Tenha na geladeira bebidas que contenham menos açúcar e ácido, como água, leite e suco de fruta 100% natural. Ingira essas bebidas e estimule seus filhos a fazer o mesmo.
- Enxágüe a boca com água: Depois de consumir um refrigerante, faça um bochecho com água para remover vestígios da bebida que possam prolongar o tempo que o esmalte fica exposto aos ácidos.
- Use creme dental e solução para bochecho com flúor: O flúor reduz as cáries e fortalece o esmalte dental, portanto escove com um creme dental que contenha flúor, como o Colgate Total® 12. Fazer bochechos com uma solução com flúor também pode ajudar. Seu dentista pode recomendar um enxaguatório bucal que você compra na farmácia ou supermercado ou prescrever um mais concentrado dependendo da gravidade do seu problema. Ele também pode prescrever um creme dental com maior concentração de flúor.
- Faça aplicação de flúor com o profissional: Seu dentista pode aplicar flúor na forma de espuma, gel ou solução.Os refrigerantes são implacáveis com seus dentes. Reduzindo a quantidade que você ingere, praticando uma boa higiene bucal e buscando ajuda com seu dentista e higienista, você pode neutralizar seus efeitos e usufruir de uma saúde bucal melhor.
 
 
1 2
Voltar ao Topo