Pra Você

Auto

Dicas para polir seu carro

Sempre é bom uma camada de cera para seu carro, ela ajuda a proteger a pintura contra ferrugens, sujeiras e do sol. 
 
Mas antes de usa-la veja as seguintes dicas para polir um carro:
 
 
Primeiramente faça uma limpeza profunda no carro por fora.
 
O carro deverá estar na sombra e a lataria não deve estar quente (tirar o carro do sol e colocá-lo na sombra não adianta; é preciso esperar que a lataria esfrie).
 
A cera só fará efeito quando secar, porém não deixe o produto secar por muito tempo.
 
Não passe a cera no carro inteiro para depois polir tudo.
 
Aplique-a e faça o polimento por partes (uma porta, o capô, por exemplo).
 
Passe a cera na parte escolhida com uma flanela (limpa e macia), lentamente e de forma circular.
 
Espere um tempo prudencial (ou o indicado na embalagem) e remova o produto com outra flanela limpa e seca, até o brilho aparecer. Não devem ficar restos de cera.
 
Ao terminar, dê um polimento geral.

Roda de Liga Leve e Rodas de Ferro

 

As rodas de liga leve utilizam uma liga composta por alumínio (para menor peso), silício e ferro (para ganhar resistência), entre outros metais. São cada vez mais usadas em substituição as rodas de ferro, inclusive a nível internacional, como por exemplo o Japão, onde vão de encontro com as recentes iniciativas das indústrias e do governo japoneses para economia de energia e menores níveis de emissão de poluentes pela redução do peso dos veículos. 
 
O nível da segurança estrutural é garantido pelos dois tipos de construção, seja a roda de liga leve (alumínio) ou ferro (aço). Porém uma roda de alumínio proporciona algumas vantagens adicionais ao aspecto de segurança, comparada à roda de ferro, como por exemplo: 
 
1) Menor densidade da liga de alumínio, representando consequentemente menor peso (aproximadamente 30 até 35 %) para rodas com as mesmas dimensões e aplicações.
2) Menor peso significa também menor movimentação de massa, como também menor consumo de combustível e melhor estabilidade na pista.
3) A liga de alumínio apresenta, comparado à ligas de aço, uma melhor condutibilidade térmica. Isto significa, que a roda de alumínio submetida ao mesmo aquecimento da roda de aço, transferirá menor nível de calorias e consequentemente irá ter um menor aquecimento. Tudo isto, ajuda na preservação do sistema de freio, diminuindo a temperatura do conjunto nas frenagens.
4) Normalmente as rodas de alumínio são rodas monoblocos, significando isto uma única peça, que é bem melhor que as rodas de aço, que no mínimo são compostas pelo aro e o centro, conectado por cordões de solda, que podem oxidar ou talvez até soltar com o tempo e o tipo de solicitação.
5) A roda de alumínio é usinada em tornos CNC, garantindo assim um dimensional melhor, principalmente na região do talão, comparada a roda de aço (que é estampada). Isto consequentemente diminui o nível de ruído e melhora o balanceamento final do conjunto roda-pneu.
6) Devido também ao menor peso, as rodas de alumínio submetem o sistema de suspensão a um esforço menor, garantindo também uma menor força para manobrar. Quanto mais pesada a roda, maior será o esforço necessário para colocá-la em movimento (nas acelerações) ou para fazer cessar esse movimento (com a aplicação dos freios).
 

Lâmpadas Halógenas x Xenon x LEDs

 

Temperatura (k) é diferente de Potência (w)
 
Potência (w) é diferente de Lúmens (qualidade de iluminação)
 
Temperatura é diferente de Lúmens (lm)
 
Portanto 8500k não quer dizer que a lâmpada é ruim e ilumina pouco.
 
Em lâmpadas de Xenon 35w 8500k (azul), obtém-se em torno de 2500 lúmens.
 
Em lâmpadas de LED 55w 8500k , obtém-se no máximo 300 lúmens.
 
Lâmpadas de Xenon 35w 4300k (branco amarelado), apesar de serem muito mais discretas, são proibidas. Estas possuem em torno de 3200 lúmens.
 
Atualmente, a melhor lâmpada automotiva em qualidade de iluminação é a Xenon 55w 4300k, que é capaz de gerar até 5400 lúmens.
 
Lâmpadas halógenas originais 55w tem uns 800 lúmens e lâmpadas no estilo GP Thunder 55w tem uns 1100 lúmens.
 
Lâmpadas halógenas de 100w são proibidas e além disso podem danificar os faróis (queimando-os e/ou deixando-os amarelados).
 
Outro fator levado em conta na hora de escolher lâmpadas pro carro é a durabilidade.
 
Lâmpadas de gás xenônio duram em torno de 3000 horas, enquanto as lâmpadas halógenas tem vida útil de 400 horas.
 
As lâmpadas de LED tem uma vida útil surpreendente de até 50.000 horas.

Cuidado com os freios

 

O freio exige uma série de cuidados para funcionar perfeitamente. 
 
A primeira coisa é observar, de preferência num mecânico ou loja especializada, o estado das lonas traseiras e das pastilhas, que vã na frente (okay, sei que há carros com pastilhas na quatro rodas, mas são raros e caros!).
 
As pastilhas duram 40 000 km. Claro que se dirigir como um piloto de Fórmula 1, a duração é bem menor. De toda forma, é um número para se ter em mente.
 
Deixar a pastilha gastar até o final também pode detonar (aliás, é muito provável que) o disco de freio. Se isso acontecer, nem pense em fazer o chamado “repasse”, que consiste em lixar o disco até aplainar as saliências deixadas pelo desgaste.

Culinária

Molho de Camarão Delicioso

Lave bem os camarões com água corrente e limão e deixe escorrer até secar completamente. 
Retire as cascas do camarão e reserve.
Limpe os camarões tirando as tripas de cima e de baixo.
Lave os camarões tratados novamente com água corrente e limão e deixe escorrer até secar completamente.
Tempero os camarões com tempero pronto e deixe descansar por 10min.
Numa panela coloque um pouco de azeite de oliva, as cascas do camarão, um pouco de tempero pronto e a água filtrada.
Tampe e deixe cozinhar em fogo baixo até que as cascas fiquem bem avermelhadas.
Coe em peneira fina reservando o caldo.
Noutra panela, coloque o camarão no azeite de oliva, já quente, em fogo brando, e deixe que o camarão solte sua água até estar cozido.
Tire o camarão com uma escumadeira, reservando o caldo.
Cuidado, não deixe demorar demais para o camarão não ficar duro.
Normalmente são 3min em média, até que o camarão adquira uma cor avermelhada.
Misture os dois caldos reservados com o molho de tomate.
Adicione as folhas de manjericão e o tomate e a cebola em cubos e deixe cozinhar em fogo baixo por 03min após a fervura.
Adicione o camarão por mais um tempo só para aquecer e desligue o fogo.

Arroz a Carreteiro

 

Coloque o bacon em uma panela de ferro grande
Leve ao fogo e deixe que frite na própria gordura até dourar
Acrescente metade do óleo, espere aquecer e junte a carne-seca
Deixe fritar até que comece a dourar
Adicione a cebola e o alho, deixe fritar por mais alguns minutos.
Comece a colocar água quente aos poucos, sempre mexendo, até que a carne cozinhe e fique macia
Reserve.
Em outra panela, coloque o restante do óleo e do arroz
Leve ao fogo e deixe fritar por alguns minutos
Acrescente os tomates, sal, e refogue mais um pouco
Adicione água quente até cobrir o arroz, abaixe o fogo e deixe cozinhar com a panela tampada.
Misture a carne com o arroz em uma travessa
Polvilhe com salsinha e sirva.
 

Saúde

Evite retenção de líquidos

Barriga estufada, pernas pesadas e a terrível sensação de ter engordado vários quilos em pouquíssimo tempo... Você pode estar sofrendo com a retenção de líquidos!
O problema se caracteriza pelo acúmulo excessivo de água entre as células do organismo, que não é eliminado através da urina. Dessa forma, ocorre o inchaço principalmente na barriga, pés, mãos, coxas, tornozelos e mamas. Com algumas mudanças nos seus hábitos, é possível reduzir essa desconfortável sensação, aliviar a retenção de líquidos e sentir-se mais leve e bem-disposto!
 
– “Consuma alimentos como melancia, melão, abacaxi, chuchu, pêssego, cenoura, por exemplo, que são ricos em água e potássio. Eles ajudam a regular o teor de sódio no organismo e diminuem o inchaço”, explica a nutricionista Paula Castilho.
 
– Beba no mínimo 3 litros de líquidos por dia. “Tome pelo menos 1 litro de água pura, para promover a desintoxicação corporal. O restante pode variar entre chás e sucos. O ideal é ingerir 200 ml de algum líquido quinze minutos antes da refeição ou uma hora após”, ensina a nutricionista.
 
– Pratique atividades físicas regularmente. Procure, ao menos, caminhar três vezes por semana, durante meia hora. O exercício aumenta o batimento cardíaco e acelera vários processos no corpo, como a queima de calorias e gorduras, além da eliminação das toxinas e dos líquidos acumulados.
 
– Se você trabalha sentado, procure se levantar a cada duas horas. Também é interessante realizar a ginástica laboral durante o expediente.
 
– Faça uma deliciosa massagem, por exemplo, a drenagem linfática. Essa técnica é realizada com óleos essenciais e consiste em compressão e descompressão dos gânglios, trabalhando a circulação linfática. Dessa forma, ela estimula a eliminação do líquido linfático, que fica localizado entre as células e é rico em gorduras – até os gânglios linfáticos. Quando ele fica retido no tecido subcutâneo, você se sente inchado e pesado.
 
– Aumente o consumo de legumes e verduras, principalmente crus.
 
– Coma mais frutas. “Quando possível, ingira também o bagaço ou a casca. E prefira as que possuem poder laxativo, como: laranja, mexerica, mamão, banana-nanica, ameixa-preta, abacaxi, abacate e acerola, pois elas promovem uma limpeza no organismo, eliminando as toxinas”, explica Paula.
 
– Coma sempre devagar e mastigue bem os alimentos.
 
– Sempre que possível, dê preferência aos produtos integrais.
 
– Acrescente ao leite itens como cereais integrais, farelo de aveia, farelo de trigo, gérmen de trigo e linhaça, que favorecem o funcionamento do intestino.
 
– Modere no consumo do sal. “Utilize alho, cebola e ervas naturais, como orégano, salsa, alecrim, manjericão e açafrão”, aconselha Paula.
 
– Evite o consumo exagerado do café. “Em excesso, a bebida age como vasoconstritor, ou seja, diminui o calibre das artérias, favorecendo a má circulação e contribuindo para o inchaço. Substitua-o por chás”, avisa a nutricionista.
 
– Polvilhe a comida ou a salada com farinha de linhaça, que tem ação anti-inflamatória e reduz a retenção hídrica no organismo.
 
Fonte:portal Vital
 
link: http://www.portalvital.com/saude/alimentacao/evite-a-retencao-de-liquidos

Alimentação saudável na gravidez

Ajuste sua alimentação, mesmo que ela já seja boa Agora que você está grávida, é importante tentar aumentar a ingestão de determinados nutrientes (como ácido fólico, ferro, cálcio e proteína).

O consumo de calorias pode aumentar um pouquinho conforme a gravidez avança. Se você não era de se preocupar muito com a comida, agora vale a pena passar a fazer refeições mais pensadas e equilibradas. Limite a quantidade de guloseimas e de fast food, que têm muitas calorias e poucos nutrientes.

Quer ver algumas sugestões de cardápio e receitas para cada fase da gravidez? Clique aqui. Durante a gravidez, seu corpo trabalha de forma ainda mais eficiente, tirando o máximo de energia do que você come. Por isso, nos primeiros seis meses de gestação a maioria das mulheres nem precisa comer mais do que já comia. Só nos últimos três é que é aconselhável comer 200 calorias a mais, mas isso não quer dizer quase nada, já que 200 calorias equivale a meras duas torradas com manteiga, por exemplo.

Guie-se pelo seu apetite, que pode variar dependendo da fase da gravidez. Nas primeiras semanas ele pode sumir, por causa do enjoo. Mas às vezes, em especial à noite (ou no meio da madrugada), é provável que você sinta a necessidade súbita de comer alguma coisa para preencher um "buraco no estômago".

No segundo trimestre, seu apetite deve ficar igual ao que era, ou um pouco maior. No terceiro, você deve ficar com mais fome, mas precisa tomar cuidado porque serão mais frequentes a azia e a má digestão. Se você estiver engordando pouco e seu médico estiver satisfeito, não precisa ficar controlando a alimentação. Só tente comer as comidas certas.

Quais são as comidas erradas? A grávida pode comer quase tudo, mas deve evitar alguns tipos de alimentos. São eles: peixes e frutos do mar crus, como ostras e sushi (o sushi pode ser ingerido se o peixe tiver sido congelado antes). queijos de casca branca, como brie e camembert, e queijos com fungos, como roquefort e gorgonzola. Evite também queijos do tipo frescal (ou "minas"), que podem ser feitos com leite não-pasteurizado. O problema é a possível presença de uma bactéria que causa a listeriose, doença que pode prejudicar o bebê. carne bovina malpassada ou crua (como carpaccio), carne de porco malpassada e ovos crus (como massa de bolo, gemada, ovo frito com gema mole e algumas sobremesas -- musses, por exemplo). A precaução é para evitar bactérias que possam afetar o bebê. bife de fígado e miúdos, para evitar a sobrecarga da forma retinoica da vitamina A, que pode ser prejudicial ao feto. cação, peixe-espada e tubarão, que podem conter níveis perigosos de mercúrio. O atum deve ser limitado a quatro latas por semana ou dois filés frescos por semana, pelo mesmo motivo. Outros peixes são seguros e fazem bem ao bebê e a você.

As recomendações quanto ao mercúrio valem também para quem está pensando em engravidar e para o período de amamentação. se você tiver na família pessoas com alergias (a nozes, castanhas ou amendoim, por exemplo), é bom evitar esses alimentos na gravidez. bebidas alcoolicas.

O consumo de álcool pode causar sérios problemas no bebê, por isso os especialistas recomendam cortar totalmente as bebidas alcoolicas na gravidez. bebidas e alimentos com cafeína. Pesquisas ligaram o consumo de mais de 300 mg de cafeína por dia ao risco de aborto espontâneo e de a criança nascer com baixo peso, e um estudo especulou que até doses bem pequenas de cafeína já podem influenciar na perda do bebê. Não tome mais que três xícaras de café por dia, e, se possível, prefira bebidas descafeinadas.

Tome vitamina pré-natal Num mundo ideal -- em que não existisse enjoo, por exemplo --, não seria tão difícil manter uma alimentação equilibrada. Mas, no mundo real, é mais garantido recorrer a um suplemento vitamínico pré-natal para ter certeza de que seu corpo receberá todos os nutrientes de que precisa. Converse com seu obstetra. O ácido fólico é um suplemento especialmente importante, que deve ser tomado até antes de engravidar, e durante os três primeiros meses da gestação. A deficiência desse tipo de vitamina B está ligada a problemas na formação neurológica do bebê, como a espinha bífida. A recomendação mínima é de 400 mcg de ácido fólico ao dia.

Os médicos costumam receitar um suplemento mais completo, com várias vitaminas e ferro, a partir do terceiro mês, quando os enjoos melhoram e a vitamina é mais bem tolerada pelo estômago. Se você for vegetariana ou tiver algum problema de saúde como diabete, diabete gestacional, pré-eclâmpsia ou anemia, ou se no passado já teve um bebê de baixo peso, o médico provavelmente terá orientações especiais para a sua alimentação, ou ele pode encaminhá-la para um nutricionista. Lembre-se, porém, de que nem sempre a vitamina é boa.

Suplementos de vitamina A contêm retinol, por exemplo, que pode ser tóxico ao bebê em grandes quantidades. Não faça regime Fazer dieta durante a gravidez pode prejudicar o bebê e você também. Dependendo do tipo de regime, você pode ficar com deficiência de ferro, de ácido fólico e de outras vitaminas e sais minerais importantes. Lembre-se de que engordar faz parte da gravidez. Comer bem e na quantidade certa é especialmente importante para grávidas de menos de 20 anos.

Mulheres que comem bem e que engordam o recomendável têm mais probabilidade de ter bebês saudáveis. Se você está comendo alimentos saudáveis e está engordando, relaxe: é isso que tem de acontecer! Quem era bem magra antes de engravidar tem mais "tolerância" para engordar. Se você já estava acima do peso antes de engravidar, pode melhorar a qualidade da sua alimentação, eliminando guloseimas e comidas gordurosas demais e começando a fazer atividade física (sempre consultando o médico antes). Para quem estava acima do peso, pesquisas já mostraram que não há problema em não engordar nada durante a gravidez, ou até emagrecer, pois as reservas de gordura acumuladas no seu corpo vão suprir as necessidades calóricas do bebê. Engorde aos poucos O ganho de peso varia de mulher para mulher, e depende de vários fatores. Em países como o Reino Unido a balança já nem faz mais parte das consultas do pré-natal, porque os médicos não veem necessidade de um controle rígido do peso. A média de ganho de peso na gravidez parece estar entre 8 e 15 kg.

Mas, em vez de pensar na balança, concentre-se na qualidade do que come: muita fruta, legumes e verduras, boas quantidades de proteína e só um pouco de gordura e açúcar. Para saber mais, consulte nosso artigo sobre ganho de peso na gravidez. Faça pequenas refeições em intervalos regulares Mesmo que não esteja com fome, é melhor não deixar o estômago muito tempo vazio. É aconselhável fazer cinco ou seis pequenas refeições em vez das três grandes refeições tradicionais, principalmente se você estiver sofrendo muito com enjoos, azia ou má digestão. Não pule refeições, porque o bebê precisa estar constantemente alimentado. Uma guloseima aqui ou ali não faz mal Não há por que abrir mão de tudo o que você gosta só porque está grávida.

Mas também não é bom deixar que alimentos industrializados, salgadinhos e doces formem a base da sua alimentação. Na hora da vontade de comer aquela guloseima, experimente colocar uma banana no microondas com um pouco de canela, ou tome uma batida de iogurte com frutas congeladas. Você só tem a ganhar se conseguir achar uma guloseima "mais saudável"! E, de vez em quando, por que não mergulhar naquele maravilhoso bolo de chocolate ou num brigadeiro? Aproveite cada pedacinho, você merece!

Batata faz bem para o coração

Porém, não foram 18 participantes comuns, trata-se de um estudo com pessoas com sobrepeso ou obesas e que além do mais têm a pressão arterial alta. De acordo com o estudo, a ingestão de batata-roxa melhorou a saúde dos participantes de forma considerável. As batatas foram cozinhadas sem a utilização de azeites ou manteigas, enfim, sem gorduras.
 
De acordo com o nutricionista da Unifesp, João Victor Fornari, a batata-roxo não deve ser confundida com a batata-doce de interior amarelo. “Estamos falando de uma espécie silvestre de batatas com a casca e a polpa roxas. Tem sabor adocicado e pode ser usada par preparar um doce de textura pastosa e é muito apreciado por praticantes de atividades físicas”, revela.
 
No estudo, os participantes deviam se alimentar duas vezes ao dia com até oito batatas médias e roxas (do tamanho de uma bola de golfe) cozinhadas no forno de micro-ondas, somando um total de 218 calorias diárias. Os resultados foram reveladores: o consumo de batatas foi associado à diminuição de 3,5% da pressão arterial sistólica e cerca de 4,3% da diastólica. Além disso, nenhum dos indivíduos estudados ganhou peso.
 
Segundo os cientistas, a batata-roxa é uma fonte rica em antioxidantes que ajudam a reduzir a tensão arterial. O truque é comer a ‘pele’ dessas batatas porque a casca contêm muito mais desses antioxidantes e também é rica em potássio (outro elemento que ajuda a reduzir aa pressão arterial).
 
A maioria dos participantes estava tomando medicação para o estresse e mesmo assim os resultados foram positivos. De acordo com Joe Vinson, professor de química da Universidade de Scranton, a batata roxa e branca são semelhantes. Por isso, comer a pele de ambas pode ser benéfico ao coração.
 
Mais
 
De acordo com Fornari, a batata-roxa é originária do Peru e possui uma grande quantidade de polifenóis, nutrientes naturais que desempenham um papel importante na redução do risco de doenças cardíacas. Os polifenóis são compostos solúveis em água com poder antioxidante (podem ser encontrados também em frutas, mel, brócolis, aipo, cebola, salsa, vinho tinto, chá verde, chá branco ou azeite).
 
O nutricionista Fornari ainda diz que uma das vantages da batata-roxa é sua condição estutural ser classificada como um alimento de índice glicemico intermediário ou moderado. “Alguns estudos o classificam com baixo índice glicemico levando em conta a sua
resposta a porção glicemica. Ele pode ser usado em atividades físicas por proporcionar uma resposta mais lenta na absorção da glicose e também favorece atletas de atividades de resistência no inicio do exercício, não devendo ser usado em atividades de resistência ao decorrer da atividade.”

Postura e descanso são importantes para evitar lesões por repetição

O corpo humano não foi projetado para muitas das atividades que hoje pertencem à nossa rotina. Ficar sentado diante do computador durante horas, todos os dias, pode causar dores, dificuldades de movimentação e formigamento nos dedos. Esses e outros sintomas estão ligados à LER (lesão por esforço repetitivo), tema do Bem Estar.

A LER não é uma doença propriamente dita, mas engloba todos os problemas nos ossos e músculos que tenham origem em atividades repetitivas. Normalmente, o mal está ligado ao trabalho, mas isso não é regra. Para esclarecer o assunto, recebemos a terapeuta ocupacional Maria Cândida Luzo e o preparador físico José Rubens D’Elia, consultor do programa. Participou também a banda “Músicos do Futuro”, pois seus músicos exercem uma função que exige muita repetição e movimentos precisos. As lesões são mais recorrentes em pessoas que digitam muito ou apertam mouse, atendem e transferem telefonemas ou fazem fotocópias. Em casa, os serviços domésticos também desencadeiam problemas, por isso é preciso segurar corretamente panelas e vassouras. A lesão mais comum é a tendinite, uma inflamação nos tendões. Outras recorrentes são a síndrome do túnel do carpo, a tendinite de Quervain, o dedo em gatilho e o cotovelo de tenista. Os especialistas falaram, ainda, sobre os cuidados que se deve ter para evitar o surgimento de dores. Três aspectos são fundamentais para reduzir os riscos: é preciso fazer pausas durante qualquer atividade e saber respeitar os limites do corpo; a altura e a posição dos aparelhos precisa estar adaptada à pessoa; e é necessário ter atenção com a postura. Em qualquer atividade que se faça, é importante usar todo o corpo. Pense no movimento que você realiza, por exemplo, quando se abaixa para pegar um objeto pesado no chão – o ideal é dobrar os joelhos e usar as duas mãos. Esse tipo de raciocínio serve para todos os trabalhos braçais.

No caso do computador, em que a LER é comum, o que se deve observar é a posição dos objetos. A cadeira e a mesa devem ficar na altura que proporcione maior naturalidade e conforto a quem estiver sentado. A posição mais recomendada do monitor é à altura dos olhos, para evitar que a pessoa abaixe a cabeça e force o pescoço. Para usar o teclado e o mouse, o ideal é que o cotovelo forme um ângulo de 90 graus. Os dois pés devem ficar apoiados no chão e, se a máquina for compartilhada por indivíduos de alturas diferentes, o uso de almofadas pode resolver o problema.

Maria Cândida aproveitou para dar dicas sobre os laptops, computadores portáteis que muita gente usa em casa. Para utilizá-lo no colo, é preciso tomar alguns cuidados: recostar-se bem no assento, apoiar os pés no chão e colocar algum objeto para deixar o computador um pouco mais alto. Ainda assim, o ideal é colocá-lo sobre a mesa.

Quando o notebook ficar em cima da mesa, deve ser usado da mesma maneira que o desktop - computador convencional. Para isso, é recomendado colocar um suporte debaixo do computador, para que ele não fique muito baixo em relação aos olhos. Teclado e mouse também devem ficar na altura certa.

Fonte: Biolab

Link: http://biolablab.com.br/site/index.php/component/k2/item/100-postura-e-descanso-s%C3%A3o-importantes-para-evitar-les%C3%B5es-por-repeti%C3%A7%C3%A3o

Sua Casa

Jardim

Os jardins dão um destaque na decoração de uma casa, quando bem montados refletem o bom gosto e a criatividade dos proprietários. Além disso, um belo jardim pode aumentar em até 30% o valor de qualquer imóvel. Para manter a harmonia de um ambiente, o jardim deve estar em sintonia com a arquitetura, localização, tamanho da casa e receber a manutenção necessária diariamente.

A primeira dica para criar um jardim residencial é seguir a tendência atual dos decoradores que é montar jardins rústicos e simples, mas que, ao mesmo tempo, dão sofisticação ao ambiente. A vantagem está em optar por um projeto viável financeiramente para a grande parte dos interessados, prático, bonito e bastante confortável.
 
Esse jardim será composto basicamente por plantas perenes, como as bromélias, sagus, formium, agaves ou palmeiras, dispostas sobre uma grama bem cuidada.
 
Para melhorar a decoração do seu jardim, você pode montar caminhos sinuosos, forrações minerais ou desidratadas com argila expandida e pedras pequenas, dando acesso a entrada principal da casa ou a um canto específico do ambiente, outra opção é investir em vasos de linhas retas, bancos de madeira e outros objetos de decoração.
 

decoração para banheiros

 

Os banheiros costumam ficar em segundo plano quando o assunto é decoração. No entanto, pequenos cuidados já podem torná-los mais práticos, aconchegantes, bonitos e com aspecto maior.
 
O ambiente pode ser claro e básico, mas ganha um novo visual com detalhes coloridos (sem exagero) por meio de tapetes, vasos, toalhas. Faixas e pastilhas dão cara moderna ao ambiente. Para evitar problemas com a umidade, invista em móveis revestidos externamente com MDF, folhas de madeira, fórmica.

Dez dicas de decoração para quartos pequenos

1- Cores Claras
 
Cores escuras podem dar a aparência de que o quarto é ainda menor. Portanto, invista em tons claros, que conferem sensação de amplitude.
 
2- Invista em Espelhos
 
Espelhos não servem apenas para conferir a aparência. Na decoração, têm a função de proporcionar aspecto maior aos ambientes.
 
 
3- Cama
 
Gavetas na cama são uma boa opção para ambientes pequenos. Alguns modelos box já vêm com elas. Se não os encontrar, vale até apostar em um colchão box em uma cama convencional.
A cabeceira é um importante item de decoração, que deve harmonizar com o estilo do restante do projeto.
 
4- Abuse das Paredes
 
As paredes de quartos pequenos são grandes aliadas. Abuse delas com detalhes suspensos,  prateleiras e nichos colaboram com a organização.
 
5- Objetos e Roupas de Cama
 
O ambiente claro pode ganhar cores e detalhes por meio de tapetes, roupa de cama, almofadas, cadeira colorida, pufe, quadros. Tudo isso sem exagero, é claro, e com tonalidades complementares. Se enjoar do visual, basta trocar os objetos e tecidos. O aspecto muda sem que se gaste muito.
 
6- TV
 
Colocar a televisão na parede é uma opção para ocupar menos espaço nos móveis. “Mas tem de tomar cuidado com o que vai ligar nela. É importante que se pense onde colocar o DVD, o videogame, o aparelho da TV a cabo”.
 
7- Porta Retratos
 
Porta-retratos podem incrementar a decoração e reavivar memórias. É permitido investir em molduras de modelos e tamanhos diferentes, dependendo do estilo do dono do quarto.
 
8- Facilite a Circulação
 
Encher o quarto de móveis pode atrapalhar a circulação, principalmente em quartos pequenos. Recomenda-se deixar corredores de pelo menos 60 cm nas laterais das camas e em frente aos armários. “Em quartos de solteiro, vale encostar a cama na parede, porque se acaba ganhando espaço para circulação. Fazer isso com cama de casal não fica bom, já que quem dorme ao lado da parede tem dificuldade para se levantar.”
 
9- Organização
 
Quanto menor o ambiente, mais organizado ele deve ser. Objetos jogados, sem espaço para serem guardados, poluem o quarto. Por isso, os móveis precisam de um bom planejamento. 
 
 
10- Móveis
 
Os móveis do quarto podem ser de materiais variados, como madeira e laca. Portas de correr otimizam o espaço, assim como uma bancada de estudo ao lado da cama, que também tem a função de criado-mudo.
 
Voltar ao Topo