Pra Você

Auto

Lâmpadas Halógenas x Xenon x LEDs

 

Temperatura (k) é diferente de Potência (w)
 
Potência (w) é diferente de Lúmens (qualidade de iluminação)
 
Temperatura é diferente de Lúmens (lm)
 
Portanto 8500k não quer dizer que a lâmpada é ruim e ilumina pouco.
 
Em lâmpadas de Xenon 35w 8500k (azul), obtém-se em torno de 2500 lúmens.
 
Em lâmpadas de LED 55w 8500k , obtém-se no máximo 300 lúmens.
 
Lâmpadas de Xenon 35w 4300k (branco amarelado), apesar de serem muito mais discretas, são proibidas. Estas possuem em torno de 3200 lúmens.
 
Atualmente, a melhor lâmpada automotiva em qualidade de iluminação é a Xenon 55w 4300k, que é capaz de gerar até 5400 lúmens.
 
Lâmpadas halógenas originais 55w tem uns 800 lúmens e lâmpadas no estilo GP Thunder 55w tem uns 1100 lúmens.
 
Lâmpadas halógenas de 100w são proibidas e além disso podem danificar os faróis (queimando-os e/ou deixando-os amarelados).
 
Outro fator levado em conta na hora de escolher lâmpadas pro carro é a durabilidade.
 
Lâmpadas de gás xenônio duram em torno de 3000 horas, enquanto as lâmpadas halógenas tem vida útil de 400 horas.
 
As lâmpadas de LED tem uma vida útil surpreendente de até 50.000 horas.

Como regular seu som automotivo

De modo geral a maioria dos sons automotivos já vem com configurações pré-gravavas para determinados estilos musicais como Rock, Pop, Jazz, etc, porém tais configurações deixam a desejar com os usuários mais exigentes que preferem deixar o som com seu próprio estilo.Antes de aprender a regular o som, vale observar os seguntes aspectos:
 
A Qualidade:
 
De modo geral, um som com qualidade é aquele som em que se pode identificar todas as frequencias auditivas sem desequilíbrios, ou seja, graves, médios e agudos nítidos com perfeita definição e sem distorções.
 
O Gosto de cada um:
 
Existem pessoas que gostam de um grave acentuado, outras mais de agudo, e outras médio e por aí vai.
É importante salientar que cada um tem seu próprio estilo e gosto musical, porém algo que não deve ser reproduzido em nenhum caso é a distorção, pois ela é responsável pela queima de alto-falantes, módulos e aumenta o stress de quem estiver ouvindo o som.
 
Agora vamos ver como regular seu som e deixa-lo do seu gosto:
 
A maioria dos radios e sons automotivos possuem um botão chamado EQ, este configura a equalização para os estilos pré-gravados citados no início do post, mas para você que quer regular seu som de forma personalizada, procure o botão SEL, MENU ou AUDIO (varia de acordo com o modelo e marca do seu Som) para ter acesso às configurações do Treble (agudos), Midle (médios, disponível apenas alguns CD-playes) e Bass (graves), através destes comandos é possível deixar o som do jeito que vc quiser.
 
Evitando distorções em trios (som pra fora):
 
Quando estiver ouvindo o som em volumes mais altos ou estiver utilizando o “som pra fora” é natural o grave começe a apresentar distorções, para solucionar este proplema você pode reduzir o ganho do Bass até o audio deixar de apresentar chiados, esta configuração pode desequilibrar seu som, mas o fato da distorção desaparecer vai melhorar significativamente a percepção auditiva do seu som.
 
Configuração ideal para viagens longas:
 
Ao decidir viajar, nada melhor que levar aquela coleção de músicas preferidas, a configuração correta do seu som é importante para evitar seu próprio stress, para reproduções longas é recomendado o som em volumes relativamente baixos com com graves e médios acentuados, alguns aparelhos possuem a função LOUD que automaticamente aciona esta configuração (a função LOUD deve ser desativada ao aumentar significativamente o volume para evitar distorções), porém para os outros aparelhos basta aumentar o Treble em 40%, o Bass em 60% e deixar o Midle normal.
 
Fonte: http://tudosobresom.blogspot.com.br

10 dicas para salvar o seu carro da enchente

Como em todos os anos, o verão chegou trazendo enchentes e alagamentos. Quem é pego de surpresa por um temporal ou precisa trafegar com o carro em uma situação como essa deve tomar algumas precauções para não acabar estragando o veículo. O Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) dá algumas dicas sobre como prevenir dores de cabeça em função do aguaceiro.
 
1. Não tente dar a partida caso o motor morra durante a travessia de uma área alagada. Mantenha o veículo desligado e remova-o até uma oficina. Essa prática evita o chamado calço hidráulico, que é a entrada de líquido na câmara de combustão, causando a quebra de componentes internos. Reparar o motor que sofreu calço hidráulico não é barato, portanto, não arrisque.
 
2. Não enfrente o alagamento caso o nível da água esteja acima do centro da roda. A maioria das montadoras também estabelece uma altura máxima para que se possa atravessar um trecho alagado.
 
3. Dirija em baixa velocidade e mantenha uma rotação constante do motor em torno de 2.500 RPM. Isso diminui a variação do nível da água e seu respingar junto ao motor, tornando mais difícil a admissão do líquido e a contaminação de componentes eletroeletrônicos. A aderência e a dirigibilidade também melhoram.
 
4. No caso de veículos equipados com transmissão automática, troque as marchas manualmente, selecionando a posição "1". Dessa forma, o veículo não desenvolve tanta velocidade, o que torna possível manter o motor em uma rotação maior. Outra possibilidade é alternar a troca de marchas manualmente entre "N" e "1", mantendo a velocidade baixa e a rotação do motor em 2.500 RPM durante o trecho alagado.
 
5. Utilize o ajuste de tração conhecido como "Winter" ou "Snow", caso seu veículo disponha dessa função, oferecida como opcional em alguns carros automáticos. Embora seu propósito seja de aumentar a segurança em trechos de baixa aderência, como neve ou lama, essa função também pode ser usada durante alagamentos. Ela evita que o carro patine, graças ao bloqueio do diferencial, e facilita o controle da velocidade do veículo e da rotação do motor.
 
6. Mantenha a calma se, durante a travessia, o carro apresente "sintomas" como aumento de esforço ao girar o volante (caso o veículo disponha de direção hidráulica); variação na luminosidade das luzes do painel de instrumentos; alertas sonoros; flutuação dos ponteiros; luzes de anomalia da injeção eletrônica, bateria e freios ABS acesas; aumento do esforço ao acionar os freios; e interrupção do funcionamento da tração 4x4 (caso o veículo seja a diesel). Esse quadro provavelmente é causado pela perda de aderência entre a correia auxiliar e as respectivas polias da bomba de direção hidráulica, alternador e bomba de vácuo (nos veículos diesel), o que, na maioria das vezes, é um quadro passageiro que não impede o motorista de dirigir. Apenas reforce a cautela e mantenha o menor número possível de equipamentos ligados.
 
7. Desligue o ar condicionado para reduzir o risco de calço hidráulico. Essa precaução impede que alguns componentes joguem água na tomada de ar do motor.
 
8. Se o carro tiver sido rebaixado e turbinado, os riscos de sofrer calço hidráulico aumentam. Redobre a atenção aos procedimentos sugeridos para evitá-lo.
 
9. Caso você enfrente um alagamento mais sério, faça um check up mesmo que o carro não apresente problemas num primeiro momento. Corrija, por exemplo, possíveis alterações do sistema de injeção eletrônica, muitas vezes simples e imperceptíveis nessa fase, como maus contatos, mas que posteriormente podem causar grandes transtornos. Peça também uma avaliação do cânister, do óleo da transmissão e dos eixos diferenciais, no caso de veículos com tração traseira ou 4x4. Esses conjuntos podem ter sido contaminados, o que leva à redução da vida útil de seus componentes, além de riscos acentuados de falhas na embreagem, na suspensão e nos freios.
 
10. Caso você enfrente consecutivos alagamentos, limpe o sistema de ventilação, que poderá ter sido contaminado por fungos, bactérias e outros micro-organismos.
 
 
Fonte:Revista Quatro Rodas
link: http://quatrorodas.abril.com.br/reportagens/10-dicas-salvar-seu-carro-enchente-671065.shtml

Cuidados com seu carro ao ir para praia

Quem está pensando em ir à praia deve tomar alguns cuidados para proteger o seu veículo. No litoral, o carro fica exposto a fatores que podem prejudicá-lo, como areia, sol e maresia. Por isso que a recomendação dos especialistas é fazer uma revisão antes e depois da viagem para observar se algum item foi danificado.
 
Em geral, as peças que integram a carroceria são as que mais sofrem com a infiltração de água, sal e areia. Também é comum aparecer ferrugem nos espaços entre as borrachas, nas maçanetas e nos frisos do teto e das portas.
 
Entretanto, saiba que a maresia não compromete apenas a parte externa do carro. O sistema elétrico é outro componente que pode ser danificado em sua visitinha à praia. O risco maior é dos conectores do sistema de injeção eletrônica e da bateria sofrerem oxidação e, com isso, provocarem falhas no funcionamento do motor.
 
Quando voltar para a casa, não deixe de fazer também uma manutenção na caixa de direção e nos amortecedores. Os resíduos de sal e areia podem danificar as coifas do amortecedor e gerar defeitos na suspensão do veículo. Além desse, outros problemas podem acontecer por causa da maresia.
 
Ao voltar de viagem, faça uma lavagem completa do automóvel para tirar os resíduos de maresia que geralmente se acumulam em várias partes do carro. A lavagem inclui a remoção dos bancos e dos carpetes para garantir a limpeza da parte interna. Na hora de efetuá-la, cuidado para não usar produtos que possam atacar a proteção da pintura e outros componentes do veículo.
 
Quando estiver passeando com a família, evite deixar o carro na areia da praia ou muito próximo da orla, já que a maresia pode causar oxidação na lataria.
 
Fique sempre atento aos terminais de bateria, aos filtros de ar e aos conectores elétricos em geral, observando se eles não possuem água, sal e areia.
 

Culinária

Bombom de Morango

 

Lave bem os morangos, retire os talinhos e coloque-os sobre papel absorvente para escorrer o excesso de líquido. Numa tigela média, misture o leite condensado com o leite em pó e mexa até formar uma massa macia. Se necessário, acrescente mais leite em pó. Com essa massa, molde bolinhas e achate-as com a palma das mãos, envolva cada morango com a massa.
 
Coloque os morangos sobre papel-manteiga e deixe secar durante 15 minutos.Derreta o chocolate ao leite ou meio amargo de acordo com as instruções da embalagem. Com um garfo, banhe os bombons no chocolate, leve à geladeira até secar. Sirva em seguida.

Saúde

Refrigerantes: Um Problema para os Dentes

 

Nas diversas regiões do Brasil, as pessoas usam palavras diferentes para identificar um refresco adocicado e gaseificado — o refrigerante. Porém, não importa o nome que se use, trata-se de algo que pode provocar sérios problemas de saúde bucal.
 
Os refrigerantes destacam-se como uma das fontes mais importantes de cárie dental presentes na dieta, atingindo pessoas de todas as idades. Ácidos e subprodutos acidíferos do açúcar presente nos refrigerantes desmineralizam o esmalte dental, contribuindo para a formação das cáries. Em casos extremos, o esmalte desmineralizado combinado com escovação inadequada, bruxismo (hábito de ranger os dentes) ou outros fatores pode levar à perda dental.
 
Bebidas sem açúcar, que respondem por apenas 14 porcento do consumo total de refrigerantes, são menos prejudiciais. Entretanto, elas são acidíferas e têm potencial para causar problemas.
 
O Que Fazer
 
Crianças, adolescentes e adultos podem se beneficiar com a redução do número de refrigerantes que consomem, e também com as terapias bucais disponíveis. Eis algumas medidas que você pode tomar:
 
- Substitua o refrigerante por bebidas diferentes: Tenha na geladeira bebidas que contenham menos açúcar e ácido, como água, leite e suco de fruta 100% natural. Ingira essas bebidas e estimule seus filhos a fazer o mesmo.
- Enxágüe a boca com água: Depois de consumir um refrigerante, faça um bochecho com água para remover vestígios da bebida que possam prolongar o tempo que o esmalte fica exposto aos ácidos.
- Use creme dental e solução para bochecho com flúor: O flúor reduz as cáries e fortalece o esmalte dental, portanto escove com um creme dental que contenha flúor, como o Colgate Total® 12. Fazer bochechos com uma solução com flúor também pode ajudar. Seu dentista pode recomendar um enxaguatório bucal que você compra na farmácia ou supermercado ou prescrever um mais concentrado dependendo da gravidade do seu problema. Ele também pode prescrever um creme dental com maior concentração de flúor.
- Faça aplicação de flúor com o profissional: Seu dentista pode aplicar flúor na forma de espuma, gel ou solução.Os refrigerantes são implacáveis com seus dentes. Reduzindo a quantidade que você ingere, praticando uma boa higiene bucal e buscando ajuda com seu dentista e higienista, você pode neutralizar seus efeitos e usufruir de uma saúde bucal melhor.
 
 

Pimenta e seus Benefícios

Pimenta para prevenir doenças:

Por ser antioxidante, rica em flavonóides e vitamina C, a pimenta pode ainda reduz o risco de doenças crônicas como câncer de próstata, catarata, diabetes e Alzheimer. Ela é capaz de limpar o sangue removendo as substâncias tóxicas que vêm da alimentação e da poluição. E mais! Recentes pesquisas comprovaram que a pimenta possui até mesmo propriedades anticâncer. Um editorial do Jornal do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos mostrou que a capsaicina pode fazer com que células tumorais se autodestruam.

 
Pimenta para emagrecer:
 
A pimenta pode fazer você emagrecer de verdade, acredite! Isso porque ela auxilia na diminuição do apetite, reduzindo aqueles impulsos por doces e besteirinhas e, por isso, sendo muito útil no tratamento da obesidade. Vai uma pimentinha aí? Pesquisas científicas também mostraram que o uso da pimenta vermelha durante as refeições proporciona um aumento da liberação noradrenalina e adrenalina no sistema nervoso. Com isso, há uma diminuição do apetite e da ingestão de calorias. Além disso, a pimenta acelera o metabolismo e, assim, faz com que se queime mais calorias. Isso ocorre porque os capsaicinóides, que são substâncias responsáveis pelo ardor do alimento, elevam a temperatura corporal.
 
E para o organismo mantê-la a mais ou menos 36,5 graus (considerada a temperatura normal), o corpo gasta energia. Por isso que chamamos os capsaicinóides de termogênicos.
 
Pimenta para auxiliar na digestão: As substâncias picantes das pimentas (capsaicina e piperina) também melhoram a digestão, pois:
- Estimulam as secreções do estômago;
- Possuem efeito anti-flatulência;
- Estimulam a circulação no estômago;
- Favorecem a cicatrização de feridas (úlceras).
 

Atividade física em excesso causa acúmulo de radicais livres

Radicais livres: mais uma salada de letras que assombra aqueles que se preocupam com a boa saúde e tem na atividade física regular um meio de obtê-la. 
 
Radicais livres são frações de moléculas, fragmentos, que resultam de todo o processo da produção de energia pelo tecido muscular. Eles são extremamente instáveis e sua ativação causa lesão do tecido muscular. 
 
Embora o metabolismo exigido na produção de energia para atividade física termine na formação desses radicais, além de outras moléculas, somente o excesso de exercícios, atividade física intensa e prolongada, faz com que o seu acúmulo seja prejudicial à saúde. Excluindo carências nutricionais e doenças, basta que a atividade física seja de intensidade moderada em seu volume semanal para prevenir o problema. 
 
A atividade física intensa consiste em um consumo máximo de oxigênio e é algo extenuante. Envolve realizar um treino por um período maior do que aquele com o qual estava habituada. Outras características são fazer um treino mais extenuante do que o normal e realiza-lo mais de três vezes por semana. 
 
No entanto, se por qualquer razão você for obrigado a se submeter a um treinamento intenso, esteja preparado para os efeitos nocivos como consequências do acúmulo desses radicais que vão desde dor devido ao processo inflamatório que se estabelece até grandes destruições de tecido muscular. 
 
Entre os fatores que desencadeiam a lesão muscular pelo efeito nocivo dos radicais livres, o estresse mecânico vinculado ao excesso, é um dos mais relevantes, principalmente se resultado de exercícios musculares excêntricos. Tratam-se daqueles que vão além da capacidade do músculo de produzir energia e assim ele realiza um movimento contrário a sua ação. Um exemplo disso é o cotovelo que se abre para fora quando a pessoa carrega muito peso. 
 
Como consequência, há fadiga e perda de força que é maior do que a produzida pelos trabalhos concêntricos, movimento a favor da contração do músculo, embora estes em excesso possam trazer efeito semelhante. 
 
É fácil perceber que a persistência da alta intensidade dos exercícios de maneira continuada e prolongada leva a danos ao tecido muscular. Estes danos podem ser permanentes e se agravam com a perda natural da força e resistência ocorrida com o passar dos anos. 
 
Outro ponto principal a ser esclarecido é a ação do oxigênio, ou da falta dele. A atividade física intensa e prolongada impede o adequado aporte de oxigênio, mais uma causa de estresse na produção de energia pelo músculo. Este fenômeno leva a uma menor produção de antioxidantes como as vitaminas A, E, C e de elementos como o zinco e magnésio, essenciais no bloqueio da indesejada ação dos radicais livres. 
 
Como prevenir o problema
 
Ficou com má impressão lendo este artigo? Então vamos desfazê-la: pratique atividade física moderada e regular que seus radicais livres serão naturalmente combatidos pela produção adequada de antioxidantes e você continuará usufruindo tudo o que de bom o exercício traz para o nosso organismo. Além disso, mantenha uma dieta balanceada com grande variedade de alimentos.  

Como combater a boca seca?

Quando se fala em boca seca, geralmente tem-se a impressão de uma condição que apenas incomoda, mas trata-se de um problema que, além de ‘roubar’ todo o paladar e o sabor dos alimentos, compromete a saúde oral.
 
De acordo com Rodrigo Bueno de Moraes, cirurgião-dentista que vai coordenar o simpósio sobre “Boca seca na clínica odontológica”, durante o 30° Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo, essa condição pode causar problemas graves, já que a saliva ajuda a prevenir cáries e outros problemas bucais ao limitar a proliferação de bactérias na boca e lubrificar o ambiente bucal.
 
“Além da boa escovação dos dentes e do uso de fio ou fita dental, a saliva contribui para a eliminação de algumas bactérias, bem como diminui a acidez da boca. Também ressalta o paladar e o poder das enzimas salivares de colaborar com a digestão. A boca seca – ou xerostomia – age na contramão, sendo que a pessoa pode apresentar mau hálito, lábios ressecados, dor de garganta, alteração no paladar, dificuldade na fala, dificuldade de engolir alimentos e, principalmente, aumento de cáries, infecções periodontais e inflamações gengivais – resultando na perda total dos dentes naturais caso não recorra a um tratamento adequado”, diz Bueno de Moraes.
 
Na opinião do especialista, boca seca é um fenômeno relacionado com várias situações. Merecem destaque as relacionadas com o desdobramento do uso de medicamentos ou com situações que comprometam a estabilidade da saúde (caso da respiração bucal, das doenças autoimunes e de alguns tratamentos médicos).
 
“Trata-se de um efeito colateral relacionado com mais de 700 drogas conhecidas, entre antidepressivos, anticolinérgicos, anti-hipertensivos, anti-histamínicos, anti-inflamatórios, ansiolíticos, diuréticos, analgésicos, relaxantes musculares e muitas outras. Mas, também, há fatores emocionais – como estresse – que podem desencadear xerostomia, bem como condições específicas que levam ao quadro de boca seca, como tratamento de câncer, síndrome de Sjögren, mal de Parkinson, mal de Alzheimer, Aids e até diabetes, por exemplo”.
 
Rodrigo Bueno de Moraes alerta para a importância de se procurar um cirurgião-dentista tão logo a pessoa sinta as primeiras alterações da mucosa oral, já que a boca seca pode evoluir para lesões, feridas bucais mais severas ou favorecer a perda dos dentes.
 
“Esse paciente tem de ser examinado frequentemente, porque tem um risco bastante aumentado de cáries ou de doenças das gengivas e precisa, portanto, de aplicações tópicas de flúor e manutenção de boca desinfetada para prevenir o agravamento desses quadros”.
 
Além do tratamento odontológico, o cirurgião-dentista aponta cinco ações para estimular a produção de saliva naturalmente:
 
1. Consumir alimentos que estimulam o fluxo de saliva e refrescam o hálito. São eles: rúcula, agrião, aspargos, jiló, salsão, hortelã, maçã, pêra etc.;
 
2. Reaprender o valor de mastigar bem os alimentos. Isso ajuda na produção de saliva e na digestão também;
 
3. Aumentar a ingestão diária de líquidos, dando preferência à água e aos chás de hortelã, erva-doce, boldo e carqueja. Sucos de frutas também são bem-vindos;
 
4. Se empenhar firmemente para parar de fumar, de ingerir bebidas alcoólicas e de usar drogas, porque costumam agravar ainda mais os quadros de boca seca;
 
5. Excluir da rotina a ingestão de doces muito caramelizados, como frutas em calda, balas de goma e de coco, geleias etc.
 
O especialista, por fim, chama atenção para outra questão fundamental na vida dos portadores de boca seca, que é o uso rotineiro do fio dental e de escovas com cerdas macias. “Para todas as pessoas, de modo geral, a frequência adequada dos cuidados diários de higiene bucal é de, no mínimo, duas vezes ao dia para os adultos e de três vezes ao dia para as crianças”.

Sua Casa

Quiosques

Se você gosta de novidades e construções diferentes e está construindo ou reformando a sua casa, e ela possui bastante espaço, faça um Quiosque em sua casa, eles são super modernos, e você vai ter em sua casa um espaço super aconchegante e bonito.
Os Quiosques Residenciais podem ser construídos próximo a piscinas, canto do jardim, no quintal de sua casa e podem ser construídos de várias formas, por exemplo, como uma área de churrasqueira, um pequeno salão de festa, um espaço para descansar com redes e bancos.
 
Os quiosques podem ser construídos com diversos tipos de materiais, isso vai depender da sua situação financeira e também do seu gosto e estilo, eles podem ser construídos de alvenaria com telhas, madeira e palha, sapé ou piaçava isso você é quem vai escolher, eles também podem ser de forma retangular ou circular.
 
Se você deseja fazer um quiosque para área de churrasqueira utilize a madeira e telha, pois a palha não é aconselhável, devido ser um espaço que vai lidar bastante com o fogo.
 
Você escolhe o modelo, se for próximo a piscina os de palha caem super bem, coloque bancos de madeira e vai ser um excelente lugar para receber os amigos, use a sua criatividade e deixe o quiosque de sua casa, um espaço super aconchegante e bonito.
 
Fonte: http://cafebox.com.br/dicas-de-quiosques-residenciais-modelos-e-sugestoes-e-fotos/

Segredos para uma sala bonita e organizada

 

você consegue abrir e fechar com facilidade todas as portas dos armários que estão na sua sala? Se a resposta for negativa, alguma coisa está sobrando…
Colocar mais objetos do que um espaço pode receber é comum, mas pense bem: a sobrecarga de enfeites e móveis atravanca a passagem, impede a rapidez na limpeza e pode até estragar aparelhos eletrônicos, causando curtos-circuitos e reduzindo a vida útil deles.
 
Veja como deixar esse ambiente – que funciona como cartão de visitas da sua casa – impecável. E ganhe espaço trocando a bagunça pela ordem. Clique em “leia mais“!
 
 
8 segredos para uma sala bonita e organizada:
 
1. Antes de sair para trabalhar, abra as cortinas para a luz do sol entrar em sua sala.
 
2. Invista em cortinas leves e claras, de renda ou voil, e, por baixo, aposte num tecido escuro e opaco, de sarja ou tergal. O forro grosso bloqueia os reflexos de luz sobre a TV.
 
3. Escolha um rack liso, revestido de fórmica e com portas de vidro. Esse modelo junta menos pó.
 
4. Fuja das mesas ovais ou redondas, que ocupam muito espaço e dificultam a passagem. Aposte em um móvel retangular ou quadrado. Se precisar ganhar espaço na sala, encoste uma das laterais da mesa na parede e use as que ficarem livres.
 
5. Dispense o tapete sob a mesa de jantar. Inevitavelmente, restos de comida e bebida vão parar nele, deixando manchas e atraindo ácaros e bactérias.
 
6. Deixe a estante em ordem! Equipamentos eletrônicos como TV, DVD e som não são estantes. Então, nada de colocar toalhas e vasinhos em cima deles – isso diminui sua vida útil.
 
7. Descarte alguns enfeites. Você não precisa expor todos os enfeites que ganha, selecione só aqueles de que mais gosta. O excesso de miudezas acumula pó e dificulta a limpeza.
 
8. Encaixote a bagunça: coloque os objetos de menos uso em caixas de madeira ou papelão. Nas lojas de artesanato há modelos baratos, de MDF ou compensado, que podem ser pintados a seu gosto. Outro jeito de deixar as caixas bonitas é encapá-las com papel de presente ou um retalho de tecido.

 

Jardim

Os jardins dão um destaque na decoração de uma casa, quando bem montados refletem o bom gosto e a criatividade dos proprietários. Além disso, um belo jardim pode aumentar em até 30% o valor de qualquer imóvel. Para manter a harmonia de um ambiente, o jardim deve estar em sintonia com a arquitetura, localização, tamanho da casa e receber a manutenção necessária diariamente.

A primeira dica para criar um jardim residencial é seguir a tendência atual dos decoradores que é montar jardins rústicos e simples, mas que, ao mesmo tempo, dão sofisticação ao ambiente. A vantagem está em optar por um projeto viável financeiramente para a grande parte dos interessados, prático, bonito e bastante confortável.
 
Esse jardim será composto basicamente por plantas perenes, como as bromélias, sagus, formium, agaves ou palmeiras, dispostas sobre uma grama bem cuidada.
 
Para melhorar a decoração do seu jardim, você pode montar caminhos sinuosos, forrações minerais ou desidratadas com argila expandida e pedras pequenas, dando acesso a entrada principal da casa ou a um canto específico do ambiente, outra opção é investir em vasos de linhas retas, bancos de madeira e outros objetos de decoração.
 
Voltar ao Topo